Documento dos Beatles é leiloado por US$ 112 mil

A casa de leilões Christie´s vendeu em Londres a carta oficial de separação dos Beatles por 86.500 euros (US$ 112 mil). Dezenas de colecionadores tiveram a oportunidade de dar lances pelos mais de 300 objetos que pertenceram a músicos de diferentes gerações, como Jimi Hendrix e Robbie Williams, em um extenso leilão que aconteceu em uma das sedes da Christie´s em Londres, na noite de ontem.Um processo contra os Rolling Stones por mau comportamento, o violão que Brian Wilson usar para gravar Smile em 2004 e uma camiseta que o baterista do The Who vestia quando foi fotografado em 1971 foram alguns dos objetos que especialistas e fãs disputaram por mais de três horas.Mais uma vez, uma peça do quarteto de Liverpool foi a estrela do leilão Pop Memorabilia, que convocou os amantes do pop e do rock para um dos salões da Christie´s localizado no bairro South Kensington, em Londres.A carta de separação oficial dos Beatles, que desde terça-feira passada ficou exposta na Christie´s junto com uma foto que mostra o momento de sua emissão, foi assinada em 18 de abril de 1969 pelo cantor John Lennon, o guitarrista George Harrison e o baterista Ringo Starr.O documento era dirigido ao advogado do grupo, Lee Eastman, pai de Linda, a primeira mulher do ex-Beatle Paul McCartney - que faleceu em 1998 -, e através dela o advogado era notificado de que deixava de ser o representante legal da banda, que acabou de vez cinco anos mais tarde, em 9 de janeiro de 1975.A carta é testemunho da difícil situação que o grupo britânico viveu antes de sua separação definitiva, pois após a assinatura os Beatles tomaram rumos diferentes e buscaram outros representantes para tratar seus assuntos individuais.Os assinantes do documento, Lennon, Harrison e Starr, contrataram o representante do Rolling Stones para guiar suas carreiras, enquanto McCartney continuou trabalhando com o escritório formado pelo pai de sua mulher e seu cunhado, John Eastman.Essa época antes do fim do grupo foi descrita por Ringo uma vez como um "divórcio" que "não surge de repente, mas por trás dele há meses e anos de sofrimento até que no final você diz: Está bem, vamos terminar com isto".A carta escrita à máquina e assinada pelos três ex-Beatles não foi, no entanto, o único objeto do grupo britânico leiloado, pois o leilão também tinha outras coisas da banda. Entre outros, uma camisa cinza de Lennon gravada com a palavra em maiúsculas "imagine", além de uma cópia do lendário disco Let it Be assinada pelo cantor.Nos anos 60, os Beatles acabavam e nascia o The Who, outra banda britânica que passou para história da música e foi referência indiscutível de grandes músicos que vieram depois. Um lote desta banda de rock, com objetos como o violão que Pete Townshend tocou nos anos 70, foi um dos recebidos com mais entusiasmo pelos colecionadores, e acabou vendido por mais de 43 mil euros (US$ 55.700). Da década de 70 também veio a camisa colorida com a qual o baterista do The Who, Keith Moon, foi fotografado em uma sessão para a capa do disco Meaty Beaty Big & Bouncy. Esse objeto de Moon - que morreu em 1978 - foi vendido por mais de 10 mil euros (cerca de US$ 13 mil).Segundo uma porta-voz da Christie´s, os objetos desta banda, que para muitos é o auge do movimento "mod" - com músicas como My Generation- estão cada vez mais valorizados entre os colecionadores de todo o mundo.O violão de Brian Wilson, dos Beach Boys, foi comprado por mais de 5.700 euros (US$ 7.400) e o lucro será destinado a uma organização beneficente que tem como colaboradora a atual esposa do ex-Beatle Paul McCartney, Heather.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.