Documentário revela identidade de 'eggman' citado por Beatles

Filme que será lançado no fim do ano desvenda mistério do refrão de 'I Am The Walrus', canção de 1967

Efe,

04 de abril de 2008 | 21h58

Um documentário sobre os Beatles, que será lançado no fim do ano, revela um dos maiores mistérios da história da banda: a identidade do célebre 'eggman', que aparece citado na refrão da música I Am the Walrus. Trata-se de Ted O'Dell, que em 1967 trabalhava como distribuidor de ovos em Newquay, e encontrou com os Beatles em um bar da cidade. Veja também:Morre Neil Aspinall, também considerado o 'quinto Beatle' Segundo publicou nesta sexta-feira, 4, o jornal Daily Express, o encontro casual entre a banda de Liverpool e esse trabalhador de Newquay, cidade litorânea da região britânica da Cornualha, serviu de inspiração para John Lennon escrever a letra da canção, considerada uma das mais intrigantes da época psicodélica dos Beatles. Em 1967, Paul McCartney, George Harrison, Ringo Starr e o próprio John Lennon se instalaram alguns dias nessa região para gravar o filme Magical Mystery Tour. Foi em um desses dias que, tomando uma cerveja no pub The Sailor's Arms, os Beatles conheceram Ted O'Dell, que tinha então 20 anos, e foi apresentado como o 'homem dos ovos.' Após terminar as filmagens, os Beatles deixaram Newquay e pouco tempo depois lançaram o álbum Magical Mystery Tour, no qual havia a canção I Am the Walrus, cuja letra constavam os versos "I am the eggman/they are the eggmen" (Eu sou o homem dos ovos, eles são os homens dos ovos). Depois de mais de 40 anos, o documentário Mystery Tour Memories, dirigido e produzido por David Lambert, resolve o enigma que sempre pairou sobre a origem e o significado do "homem dos ovos" da famosa canção. O documentário, que chegará às lojas do Reino Unido no final deste ano, contém 15 minutos de imagens inéditas dos Beatles, feitas por turistas que estavam na Cornualha durante o verão de 1967.

Tudo o que sabemos sobre:
BeatlesMagical Mistery Tour

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.