DJs invadem Maresias para o Bavaria Vibe

Começa neste sábado, em Maresias(litoral de São Paulo) o mais ambicioso set de DJs da temporada,o Bavaria Vibe. Entre suas grandes atrações, está o pioneiro dotechno, Derrick May. E também "ideólogos" da música eletrônica como o jornalista inglês Chris Mellor, produtor e DJ, conhecidocomo Chris Coco. Em Maresias, a festa ocupa o Bavaria Vibe Day Club,montado no espaço BCP, que foi todo reformado para as festassemanais. O espaço funciona a partir das 9 horas da manhã, comserviço do bar e restaurante Piranha. Com 14 mil metros quadrados de área, o Day Club temacademia de ginástica, quadras de vôlei, piscina com deck deárea de exposições. Por e-mail, o DJ da hora, Chris Coco (que éeditor da revista Muzik) conversou com a reportagem. Agência Estado - Como você define seus grooves, qual ésua marca registrada? Chris Coco - Chamo toda música que faço de mood music. Oque quer que eu faça, seja um set relaxante ou algo profundopara clube, isso tem de ser poderoso e emocional para fazer aspessoas sentirem algo e não ser apenas uma música de fundo.Conhece sobre música brasileira eletrônica, gentecomo Patife e Marky. Qual sua opinião sobre eles?Marky e Patife estiveram tocando no Reino Unidoalgumas vezes. Seu som é individualizado e excitante. Gosto domix de influências que há nele.Fatboy Slim esteve aqui e disse à platéia que o bigbeat está morto. Você concorda com ele?Big Beat é um rótulo que foi usado para descreverum certo estilo de música de festa dançante. Eu acho que os DJsnão gostam que sua música possa ser rotulada porque é muitodifícil tocar diferentes estilos e experiências. Então, eu creioque o big beat saiu de cena, sim.Gostaria de saber algo sobre seu projetoCocaDaSilva. Há uma música lá chamada Coisa Nossa. Você achaque há um link com a música brasileira nesse trabalho?Talvez nos ritmos, porque Rui DaSilva, meupartner na produção naquele projeto, é português. Nós o chamamosCoisa Nossa porque é nosso lance, nosso som, e era um tantodiferente das outras coisas que estavam no ar naquele momento.Você acha que não há fronteiras entre gêneros?Não devem existir fronteiras. A grande coisasobre tocar música relaxante ou house é que você não ficarestrito musicalmente. Você pode tocar todos os estilos, doambiente à deep house, do jazz ao rock e ainda mixar tudo. Ébastante excitante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.