Disco reúne parte do Ramones de volta

A fórmula é antiga. Pegue um monte de músicas conhecidas, dois ícones do punk rock , uma cantora com atitude, um clube pequeno com vários fãs de carteirinha e pronto, é só começar a gravar. Foi isso que os ex-Ramones, o guitarrista e vocalista Dee Dee Ramone e o baterista Marky Ramone, fizeram no disco The Ramainz - Live in N.Y.C., lançado por aqui pela gravadora Trama. A diferença do projeto os Ramainz com os Ramones é a presença da baixista e vocalista Barbara Zampini, namorada de Dee Dee, que encara a responsabilidade de "substituir" Joey Ramone nos clássicos Sheena Is A Punk Rocker, Blitzkrierg Bop e Teenage Lobotomy sem problemas.O disco gravado ao vivo em Nova York, no ano passado, traz 21 músicas, duas delas inéditas, no ritmo alucinante que levou os Ramones ao topo do mundo no fim dos anos 70. Dee Dee começa sempre com o famoso chavão one , two, three, four e depois manda ver nos hinos Rockaway Beach, I Don´t Care e Listen To My Heart, entre outras. Os Ramones não foram apenas um grupo de punk, são, até hoje, uma instituição. Os fãs com certeza vão gostar desse lançamento. Não interessa se já existe outros três registro ao vivo com os membros originais. O ouvinte dos Ramones, que "terminou" pela milésima vez em 96, vai poder matar a saudade. Já o consumidor que não conhece muito esses malucos esqueça esse disco e compre o original It´s Alive. Gravado na véspera do ano novo de 78, também em Nova York, com os quatro fundadores, Joey (voz), Johnny (guitarra), Dee Dee (baixo) e Tommy (bateria), traz como base os três primeiros discos do grupo. É porrada do começo até o fim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.