Disco de Madonna traz "som do futuro"

Madonna sempre saiu na frente quando a questão é escolher produtores para seus trabalhos. Nos anos 80, ela trabalhou com Nile Rogers e Prince, passando para Shep Pettibone e Junior Vasquez nos 90 e William Orbit quase no ano 2000 todos no auge de sua forma. Agora, ela revela ao mundo Mirwais, o mestre da "french house" (estilo que foi impulsionado pelo Daft Punk), cujo trabalho pode ser conferido no disco Production. O resultado, de acordo com eles, é um disco para se ouvir à noite, que tem a "mistura perfeita" entre uma sonoridade comercial e underground. Difícil de discordar. Manipulações vocais - O trabalho abusa da sobreposição de camadas sonoras, com efeitos inéditos em um álbum mainstream, incluindo uma série de manipulações vocais que obrigaram Madonna a cantar fora do tom correto ou ver sua voz, pela primeira vez, ser mixada sem reverbes. "Quando ouvi o trabalho de Mirwais, pensei: ´Este é o som do futuro!´", disse ela. É o que parece. O álbum começa com Music, que, a essas alturas, já virou hino de pista em todas as capitais do mundo. Madonna disse que teve a idéia para a letra durante um show de Sting em Nova York, quando viu a mistura de públicos muito distintos. "A música põe a burguesia e os rebeldes juntos", diz o refrão grudento da faixa, que tem timbres que lembram muito o Daft Punk. A segunda faixa é Impressive Instant, que com certeza deve virar um hit com as mesmas proporções de Ray of Light. O baixo que lembra I Fell Love, o clássico de Donna Summer, e os ruídos viajantes servem de base para a letra que fala sobre "o exato momento em que duas pessoas se apaixonam na pista de dança". "Você é quem eu estava esperando, ainda não sei nem o seu nome", diz a letra. É a mais psicodélica das faixas, inspirada pelo efeito do ecstasy, que ela admite ter experimentado rapidamente nos anos 80. Ingenuidade - Amazing, produzida por Orbit, remete à ingenuidade de Borderline e começa com a frase "Você pegou uma imagem bonita e quebrou em pedaços/Pegou uma flexa de veneno e apontou para meu coração?. I Deserve It, a preferida de Mirwais, é mais calma e traz a voz de Madonna sem nenhum reverbe. "No início ela estava com medo, mas depois achou legal", disse ele. Seguem-se Don´t Tell Me, uma das preferidas da cantora, em que ela parece revelar sua simpatia pela dupla francesa Air, e a sexy What It Feels Like for a Girl, que vai ser o segundo single de Music. É nessa faixa que aparece a filha de Serge Gainsbourg, Charlotte, recitando um poema que aparece no filme The Cement Garden, que Madonna achou "perfeito" para o clima da música. O disco tem ainda a versão de American Pie, o clássico de Don McLean que foi o tema de Sobrou Pra Você e nunca emplacou nos Estados Unidos. Só para os fãs.

Agencia Estado,

18 de setembro de 2000 | 11h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.