James Devaney|Pagos
James Devaney|Pagos

Disco '25' e show especial marcam a volta da cantora Adele

Cantora e compositora inglesa ficou afastada por 4 anos

Tonica Chagas, ESPECIAL PARA O ESTADO

18 de novembro de 2015 | 19h49

NOVA YORK - Adele está de volta. Tão boa ou ainda melhor do que antes. Com as risadas e os palavrões que lhe são característicos, ela divertiu e emocionou a plateia que ocupou quase todos os seis mil lugares do Radio City Music Hall, em Nova York, terça-feira, 17, à noite, no seu primeiro show depois de quatro anos. Antes de cantar a terceira música, ela se livrou dos sapatos de salto e passou a falar com o público entre cada canção, tão descontraída como se estivesse com amigos na cozinha de casa.

“Eu estava morrendo de vontade de fazer um (palavrão) show”, soltou a cantora e compositora inglesa, batendo os pés descalços no piso do palco para acompanhar a expressão de contentamento pelo início de uma nova fase na carreira. Nesta sexta-feira, dia 20, será o lançamento internacional de 25, seu terceiro álbum de estúdio.

Nos Estados Unidos, Hello, o primeiro single desse novo trabalho, está há três semanas consecutivas no primeiro lugar em vendas, execução em rádios e na internet, segundo a revista americana Billboard. Ao que parece, 25 tem tudo para repetir os recordes de 21 que, segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica, foi o álbum mais vendido no mundo na última década.

Reconciliação. Nos últimos quatro anos, período em que ela sumiu da mídia, a vida pessoal de Adele mudou bastante. E 25 reflete isso, com músicas que falam muito de saudade. De 2011 para cá, a moça que ganhou coleções de prêmios cantando suas composições sobre a dor de ter tomado um grande fora do namorado conheceu o empresário Simon Konecki (presidente da organização filantrópica Drop4Drop, dedicada a fornecer água para populações de países em desenvolvimento), com quem teve seu primeiro filho. Em entrevistas recentes, é ao menino que ela atribui a força com que está de volta.

Em meio a rumores de que não poderia mais cantar, em novembro de 2011 ela passou por cirurgia para a retirada de um pólipo nas cordas vocais – problema que acabou com a turnê de 21. Três meses depois de viver um regime severo de silêncio, ela cantou em público apenas uma música daquele disco na cerimônia de entrega do Grammy, de onde levou seis prêmios. A última vez que a viram num palco foi em fevereiro de 2013, quando ganhou o Oscar pela música-tema de Skyfall, 23.º filme da série James Bond.

Se 21 foi um disco sobre rompimento, 25 é sobre reconciliação, como define sua autora. Hello, a música com que ela abriu o show no Radio City, pode ser entendida como um fazer as pazes. Mas Adele afirma que esse entendimento se deu com ela mesma, na passagem entre ser “uma velha adolescente” e a mulher que se tornou depois de ser mãe.

Na conversa com o público, ela explicou que seu afastamento foi uma forma de se reencontrar depois do sucesso fenomenal de 21. Contou ainda que, embora tenha completado 27 anos em maio, o título do novo disco se refere, como os dois anteriores (19, o primeiro, foi lançado em 2008), a sua idade quando começou a criar as composições para cada álbum.

Entre as 13 músicas que apresentou no show, ela cantou 5 das 11 do seu novo disco (Hello, Water Under the Bridge, All I Ask, A Million Years Ago e When We Were Young). A projeção de fotografias no fundo do palco e a imagem ampliada de Adele tomando até quase a metade do teto do teatro deram um efeito grandioso ao show. Em Hometown Glory – a primeira composição de Adele, feita quando ela tinha 16 anos e dedicada a Londres, onde nasceu – entraram imagens de Paris, onde 129 pessoas foram mortas em ataques terroristas na semana passada.

O show no Radio City teve apresentação única para gravação de Adele Live in New York City, programa especial que a rede de televisão americana NBC vai transmitir em 14 de dezembro. No início do mês, em Londres, Adele também gravou ao vivo um programa especial que a BBC One vai transmitir nesta sexta-feira, 20, à noite, coincidindo com o lançamento de 25. Por enquanto, não há informações sobre futuras turnês da artista.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.