Direito autoral controla uso de imagens e músicas interpretadas por Carmem Miranda

Marília pretendia homenagear Carmem Miranda com uma seleção das músicas eternizadas por ela. Ao lado dos produtores Marcus Montenegro e Nilson Raman, iniciou uma pesquisa rigorosa, selecionando canções. Tratou com cuidado também do figurino. Quando o roteiro estava praticamente definido, a supresa: os direitos autorais da imagem de Carmem e de suas interpretações estão vendidos, o que impedia a apresentação no Brasil. Nem mesmo a utilização do turbante, ornamento que a atriz usou em outros espetáculos, estava liberada.A solução foi criar um novo espetáculo. Carmem Miranda continuou como figura inspiradora, mas a escolha das músicas foi feita a partir dos títulos contemporâneos que ela teria gostado de cantar. "O novo do show foi mantido porque serve como indicação do compositor brasileiro." A única referência acontece no bis, quando Marília canta três músicas da Pequena Notável, o que só é possível pela autorização da família.Para as apresentações deste fim de semana, a artista prepara uma supresa: vai utilizar um modelo estilizado de Carmem mas inteiramente em negro. "Foi uma das boas idéias do estilista João Santaella, que preparou também vestidos exclusivos para minhas entrevistas em televisão", conta a atriz que, em outro momento luxuoso do espetáculo, utiliza um enfeite na cabeça recheado de pedras preciosas, fornecidas pela H. Stern.Marília atua ao lado do filho, o músico Ricardo Graça Mello, e da nora, Maria Lúcia Priolli, que fazem os backing vocals. A banda é formada por cinco músicos e a direção e coreografia do espetáculo são de Antônio Negreiros. Em maio, quando o show viajar para o exterior, onde a proibição autoral não é válida, a atriz e cantora terá oportunidade de se apresentar como Carmem Miranda, seguindo a idéia original do show. "Vamos manter a estrutura básica da apresentação, que está muito boa, mas não quero perder a oportunidade de aumentar as referências à Carmem."Maio será um mês tumultuado para Marília. Além dos pontos distantes em que o show será apresentado, ela pretende acompanhar a estréia, no dia 14, no Rio de Janeiro, da peça Dias de Riso, de Noel Coward, que tem sua direção. "Assim, pretendo viajar com o espetáculo pelo Brasil nos fins de semana, antes da temporada no exterior."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.