Direção do Grammy é acusada de desvio de verba

Escândalos tomam conta da Academia de Artes e CiênciasFonográficas a poucos dias do Grammy. O presidente daentidade, o polêmico Mike Greene, está sendo acusado de apropriação indevida de dinheiro. Ele ganha um salário de US$750 mil por ano, mas acaba levando para a casa quase US$ 1,9milhão, por conta de alguns "bônus". Fora isso, a academiaainda paga a mensalidade do Country Club, que custa US$ 1 milhão por ano, e forneceu a Mercedes que ele dirige emLos Angeles. As informações vieram à tona durante umainvestigação sobre o dinheiro arrecadado nos eventosbeneficentes Musicares, organizados pela instituição. De acordocom acusações, dos US$ 2,3 milhões levantados em 1999 e 2000,apenas US$ 176 mil foram parar em obras assistenciais deverdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.