JF Diório/AE
JF Diório/AE

Dinho Ouro Preto abre 3.ª edição do Prêmio Musique

Quem vencer se torna parceiro do vocalista do Capital Inicial e entra na briga por um show no Rock in Rio

Júlio Maria, O Estado de S. Paulo

18 de setembro de 2010 | 06h00

Seria algo como ‘se lançar no precipício’, ‘dirigir um caminhão sem freio...’ Sorte que não é letra de música. Os versos que poderiam ser de uma espécie de ‘balada do compositor solitário em busca do parceiro perfeito’ descrevem aqui um sentimento novo de um artista que compõe em parcerias desde os anos 1980.

 

De repente, ele perde o controle do que virá a ser sua nova canção e publica uma letra inédita no jornal. Quem fará a música serão os leitores, não o violão de um velho conhecido. Acaba o comodismo artístico e começam as surpresas, mas dá medo. "Não sei o que vem por aí, mas é essa que deve ser a melhor forma de compor", diz Dinho Ouro Preto, vocalista da banda Capital Inicial, um dos principais grupos que deram forma e profissionalizaram o chamado rock nacional nos anos 80. "É como me jogar em um precipício, pode aparecer de tudo."

 

Depois de Arnaldo Antunes e Tom Zé descobrirem parceiros no Prêmio Musique, a edição que começa hoje traz uma letra inédita de Dinho e Alvin L. pronta para ser musicada pelos leitores e internautas do Estadão. A partir de hoje até 15 de outubro, quem quiser participar deve fazer uma música para a letra Alguém, publicada nesta página, e enviá-la em MP3 pelo site do Musique (estadão.com.br/musique).

 

Rock in Rio. O terceiro Musique, realizado pelo Caderno2+Música, em parceria com a Rádio Eldorado, ganhou peso. O prêmio agora tem site próprio, no qual será feita uma votação online a partir do dia 21 de outubro que será disputada por todos os músicos que se inscreverem. O artista mais votado pelos internautas será um dos cinco finalistas. Outros quatro nomes serão escolhidos por um júri, formado por profissionais do Estadão, Rádio Eldorado e Gravadora Eldorado. A jurada especial desta edição é a cantora Pitty (foto ao lado). O presidente do júri é o professor e pianista do Zimbo Trio, Amilton Godoy. As gravações dos quatro escolhidos pelos jurados mais o vencedor da votação popular serão enviados ao próprio Dinho, que dará o veredicto. "Me sinto como um imperador romano, falando ‘este sim’, ‘este não’."

 

O artista escolhido fará o lançamento oficial de sua música no Grupo Estado, o que inclui entrevista na TV Estadão, programa na Rádio Eldorado AM e FM e reportagem no Caderno 2+Música. A canção escolhida será regravada no Estúdio Mosh, um dos melhores do País, para ganhar qualidade técnica e ser exibida em emissoras de rádio.

 

Um clipe da canção também será criado e registrado pela produtora Jotaeme, especialista em captação de imagens em HDTV (alta definição). O sim de Dinho garante ainda um prêmio inédito oferecido por um concurso de música: o vencedor desta edição vai concorrer com outros vencedores do Musique a uma apresentação no Rock in Rio 2011, no final de setembro do ano que vem, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Será por meio de uma votação online, realizada no segundo semestre de 2011, em data a definir, que os internautas irão escolher um dos cinco vencedores do Musique (Oleives, que venceu a edição Arnaldo Antunes; André Lima, vencedor do Musique Tom Zé; o ganhador da edição de Dinho e vencedores de duas outras edições que serão realizadas até o segundo semestre de 2011).

 

"Para mim, o Rock in Rio 2001 foi assustador", fala Dinho, lembrando da apresentação que fez com o Capital no mesmo evento, há quase dez anos. "Imagino um garoto que vai enfrentar isso... Se posso dar uma dica a quem for chegar lá, é a seguinte: veja isso como uma oportunidade, não como um desafio. Você não tem nada a provar", diz o vocalista.

 

Outra novidade da edição Dinho Ouro Preto será um vídeo (caseiro ou profissional) que o concorrente poderá mandar no momento em que se inscrever. O clipe será colocado na página de votação, mas não terá peso entre os jurados. O julgamento será da música (ritmo, melodia, harmonia), não das imagens. Não haverá também restrições de gênero. Apesar de ser ligado ao rock, Dinho espera ser surpreendido. "Forró, reggae, rock... Tomara que venha de tudo." Desta vez, o prêmio abre também as portas a brasileiros que vivem fora do País, desde que tenham 18 anos ou mais. Entre os inscritos que moram no País não haverá mais limite de idade, como nos prêmio anteriores.

 

Resultados. O Musique, criado pelo Caderno2+Música em março deste ano, é uma iniciativa inédita na imprensa. Pela primeira vez, artistas de renome nacional e internacional publicam em uma empresa jornalística letras que nunca gravaram para serem musicadas por qualquer brasileiro, que podem ser músicos profissionais ou amadores. "Gente que certamente não saberíamos que existe", disse Arnaldo Antunes em sua passagem pelo projeto. "Como foi difícil escolher", disse Tom Zé, que por tabela revelou ainda a cantora Dandara, intérprete da música vencedora da última edição, de autoria e arranjos de André Lima. "As coisas começaram a acontecer. Recebo muitos convites depois do prêmio", disse Dandara.

 

O Musique é produto também do novo comportamento do universo artístico, que passou por profundas mudanças desde que a internet assumiu o lugar das gravadoras tradicionais. Se antes o ato de lançar música era um processo burocrático, caro e que dependia de uma combinação que unia talento e sorte, as redes sociais abriram a porteira. Roberto Gazzi, editor-chefe do jornal O Estado de S. Paulo e um dos mentores do projeto Musique, define rápido dois objetivos: "Revelar talentos e democratizar o sucesso musical." O que já se faz necessário, e eis aí outro espaço que o projeto pode ocupar, é a criação de meios que passem uma peneira para garimpar os bons e os ótimos.

 

Alguém

que veja o infinito

Com o sol no olhar

Alguém

que seja um oceano

em que eu possa mergulhar

Não diga nada

Não faça nada

Não pense nada

Por enquanto

Só me espere

Até te encontrar

Alguém

que não faça sentido

E eu possa entender

Alguém

que ouça o que eu digo

E saiba responder

Fique sentada

Fique parada

Fique calada

Só me espere

Até te encontrar

Alguém que viva o presente

Alguém que saiba ver além

Alguém que nunca me abandone

E não me faça de refém

Não diga nada

Não faça nada

Não pense nada

Por enquanto

Só me espere

Até te encontrar

Tudo o que sabemos sobre:
Prêmio MusiqueDinho Ouro Preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.