Divulgação
Divulgação

'Dilma, querida, quando você voltar, por favor, desmilitarize a polícia', diz Karina Buhr em show

Cantora baiana foi uma das principais atrações da terceira noite do Vento Festival, realizado no litoral de SP neste final de semana

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2016 | 09h23

ILHABELA - Vozeirão de gente grande num corpo de menino. Quem não conhece o jovem Filipe Catto, 28, uma das revelações da nova safra da música popular brasileira nos últimos anos, se assustou com sua performance no palco principal na terceira noite do Vento Festival, realizado em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, neste sábado, 11.

O repertório afinado de Filipe foi pautado em seu segundo disco, Tomada, lançado em 2015. A voz de Catto encanta pela sutileza e, paralelamente a isso, sua técnica refinada de alcançar cada nota no momento mais oportuno da apresentação. Com letras simples e doces, Catto, que faz uma leitura intrínseca de si mesmo, equilibra MPB e rock na dose certa. "Boa noite, Ilhabela. É um prazer enorme estar aqui", disse ele já quase no fim da apresentação.

A baiana Karina Buhr, que se apresentou na sequência, fez questão de chocar e desconstruir o linear politicamente correto. Performática, a cantora cantou  músicas do elogiado Selvática, seu último disco de estúdio, que chegou às lojas em setembro do ano passado. Usando uma blusa preta quase transparente, Karina deixou os seios à mostra. "Dilma, querida, quando você voltar, por favor, desmilitarize a polícia", protestou antes de ser acompanhada pelo público que gritava "Fora, Temer. Volta, querida". As canções de Karina promoveram um debate sobre a servidão da mulher e os valores que ainda a rebaixam na sociedade. Com o fio do microfone enrolado no pescoço, Karina fez um show intenso.

Johnny Hooker ficou responsável por fechar a terceira noite do Vento Festival, em Ilhabela, e não decepcionou. Durante a performance, usou botas, calça colada e uma camisa com transparência em tons de preto. Adepto do visual andrógino, o delineador pesado nos olhos já se tornou marca registrada do artista. "Primeiramente, fora, Temer. Segundamente, boa noite. Um governo sem mulheres nos ministérios ? Isso não existe. Por isso, mulheres, dedico essa próxima música a todas vocês", disse.

Com canções do aclamado álbum Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito!, o músico pernambucano promoveu uma miscelânea sonora, do frevo ao brega. Vencedor do prêmio da Música Brasileira na categoria de melhor cantor, Johnny teve uma performance segura, soturna e que desconstruiu conceitos e esteriótipos de gêneros, assim como Liniker fez na última sexta, 10. O ponto alto do show foi a dobradinha com Filipe Catto em Garçom, de Reginaldo Rossi. Juntos, a dupla distribuiu selinhos e equilibrou os graves e agudos em uma apresentação teatral que já marcou a trajetória do jovem festival.

VENTO FESTIVAL

Praia do Perequê. Ilhabela. Dias 9, 10, 11 e 12 de junho. A partir das 19 h. Domingo às 16h. Entrada gratuita

Domingo, 12

16h - Dom Pescoço

17h - O Grande Grupo Viajante

18h - Bruno Morais

* O REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DA ORGANIZAÇÃO DO EVENTO

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.