Dia de sonho para os beatlemaníacos

Paul está de chinelos e ainda usa aqueles indefectíveis mullets no cabelo. Ringo está de camisa jeans e George todo de branco, com seu cavanhaque de estimação. Estão sentados no chão, em cima de uma toalha xadrez de piquenique. Paul está com uma perna e o chinelão em cima da toalha, todos cantando Baby What You Want Me To Do. É junho de 1994 e os Beatles realizam um sonho de décadas de velhos e novos fãs: estão juntos de novo (à exceção de John, claro) e, o que é melhor, estão tocando, rindo e se divertindo juntos. Agora é pra valer. Chega hoje às lojas do mundo todo a caixa The Beatles Anthology DVDs (EMI), contendo 11 horas de imagens dos quatro fantásticos em 5 discos e mais 81 minutos de material raro ou inédito - o que inclui aquela famosa sessão de 1994 que todo mundo pensava que era cascata. Os quatro primeiros DVDs da caixa não são desconhecidos dos fãs. Contêm o mesmo material que foi lançado originalmente em 8 episódios em VHS, no pacote The Beatles Anthology. A preciosidade é o quinto DVD, que traz as sessões históricas de um verão inglês em que, pela primeira vez desde a separação, os Beatles se reuniram para tocar juntos. Eles tocam ao ar livre e em um estúdio. Numa salinha entre os dois espaços, em cadeiras de vime e com xícaras na mão, conversam como velhos compadres sobre lembranças muito antigas. "Uma banda de Londres em Hamburgo! Era algo como uma banda cubana em Londres", lembra George Harrison, falando de como a vaselina no cabelo o deixava doente e sempre dedilhando seu ukelelê (espécie de cavaquinho havaiano), uma das vezes bem no momento em que Paul falava. Esse trecho das imagens se chama justamente Lembranças. Eles vão e voltam, entre o estúdio e a toalha xadrez de piquenique. Paul inicia um fraseado de blues e ataca Thinking of Linking. Depois, Ringo conta uma história de como ele e George quase se cruzaram no trânsito, nos primórdios. "Verdade? Eu nunca soube disso", rebate George. E então atacam a melhor das canções da jam session, Blue Moon of Kentucky, com Paul animado, quase um moleque contando vantagem. No estúdio, eles estão com dois violões e uma bateria. No chão, é violão e ukelelê. A quarta música é ao ar livre, Ain´t She Sweet, e Paul canta com sua xícara de chá na mão. Eles conversam sobre os dias iniciais, sobre como dividiam camas no duro começo em Hamburgo, Alemanha, e a maneira como se divertem ilustra como poderia ter sido se topassem reagrupar os Beatles. Sinceramente, não seria um bom negócio. Apesar de o talento e as afinidades serem evidentes, estão patinando sobre algo que ficou no passado, que pertencia a quatro jovens visionários, rebeldes, desafiadores. "Será que as pessoas nos assentos mais baratos podem bater palmas? E o restante de vocês pode apenas chacoalhar suas jóias", afrontou John Lennon, durante apresentação para a corte britânica em 4 de novembro de 1963 - à sua frente, a rainha mãe, a princesa Margaret e lorde Snowdon. Depois, atacaram Twist and Shout. Paul, George e Ringo, em 1994, estavam em outra dimensão. Maduros e consagrados, com mágoas fundas e segredos indizíveis, não tinham mais nada a ver com aqueles iconoclastas que mudaram a face da música popular - e do comportamento jovem - no século 20. Nada disso tira o sabor dessa sessão "póstuma". O chamado "Quinto DVD" tem ainda longas explicações técnicas e históricas - de George Martin e dos três beatles - sobre diversos momentos de sua carreira. Martin explica como escolheu o material dos discos da série Anthology. O material também tem Paul, George e Ringo explicando sobre a gravação de algumas músicas - como I´m Only Sleeping e Tomorrow Never Knows -, além do processo que culminou na gravação "espírita" de Free as a Bird, com os vocais dos quatro sobrepostos a uma fita demo com a voz de John Lennon. Além disso, o DVD traz um clipe inédito com a canção Real Love, que não constava da série original, agora acrescido desse incontestável som 5.1 Surround. Por sinal, é um absurdo a parafernália que foi usada para gestar esse material. Foram criados 1.760 minutos de novo áudio para a caixa de DVDs, com a mistura de equipamento analógico e a moderna tecnologia digital hoje à disposição. Sir James Paul McCartney e Richard Starkey (vulgo Ringo Starr) têm assim mais um capítulo da infindável epopéia na qual se envolveram ainda pirralhos, em Liverpool, no início dos anos 60, e na qual permaneceram por apenas 8 anos. Mortos, George Harrison e John Winston Lennon estariam fora dessa roda-viva, não fosse o extenso patrimônio musical que deixaram. A história do seu final está no DVD 4, que mostra como fizeram seu canto do cisne, Abbey Road.

Agencia Estado,

31 de março de 2003 | 10h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.