Desnível na pista pode ter causado acidente com Daniel

O acidente que deixou ferido hoje o cantor Daniel, seu empresário e um outro rapaz, no km 113 da Rodovia João Leme dos Santos (SP-264), pode ter sido causado por um desnível de 20 centímetros entre o asfalto e o acostamento de terra, no local do acidente. A possibilidade foi aventada por policiais rodoviários que atenderam à ocorrência. O Mitsubishi Pajero no qual viajava Daniel e era dirigido pelo seu empresário Hamilton Régis Policastro, de 41 anos, foi atingido pelo Fiat Palio que transportava três homens, dos quais apenas um sobreviveu.O carro seguia de Sorocaba para Salto de Pirapora, saiu da pista e, ao tentar voltar, ficou descontrolado, invadindo a faixa contrária, onde trafegava a Pajero.Daniel havia feito um show na cidade de Salto de Pirapora, a 120 km de São Paulo. O acidente ocorreu por volta de 0h45, na estrada que liga a cidade a Sorocaba. O cantor sofreu fratura no ombro esquerdo, e está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, ma zona sul de São Paulo. Seu empresário, também ficou ferido, foi atendido numa clínica médica de Sorocaba e recebeu alta. Dois dos ocupantes do Pálio, o motorista Valter Ricardo Costa, de 28 anos, e Gilberto Nápoli Júnior, de 25, morreram na hora. O outro, Javan Victor, de 21 anos, foi levado para o Hospital Regional de Sorocaba e submetido a cirurgia. Seu quadro era estável durante a tarde deste domingo.Os corpos das vítimas foram removidos para Santo André, cidade onde residiam. O sepultamento está marcado para esta segunda-feira, no Cemitério da Saudade. O delegado José Eduardo Ruiz Martins, de Salto de Pirapora, abriu inquérito para apurar as causas do acidente. Ele mandou recolher amostras de sangue de Valter Ricardo Costa, que dirigia o Palio, para verificar se ele tinha ingerido bebidas alcoólicas. O delegado também aguarda o laudo da perícia feita nos veículos e no local do acidente. Victor será ouvido assim que tiver alta.Show com 30 mil pessoasO show de Daniel fazia parte das comemorações do aniversário de Salto de Pirapora, que atraíram mais de 30 mil pessoas à cidade, segundo a prefeitura. A SP-264, antiga rota de tropeiros, tem pista única, com asfalto em más condições, mas tornou-se muito movimentada nos fins de semana por causa das chácaras de recreio freqüentadas por paulistanos. Em razão da festa na cidade, o trânsito estava intenso, segundo o metalúrgico Maurício Brito, de Sorocaba. Ele passou no local meia hora depois do acidente. "Os dois veículos estavam destruídos, no acostamento do lado direito, e tinha um corpo no chão. Tinha gente presa nas ferragens do Palio." O local do acidente atraía um grande número de curiosos na tarde deste Domingo.Os carros tinham sido guinchados, mas havia destroços espalhados no acostamento. A dona de casa Elisete Bueno recolheu um pedaço da grade dianteira da Pajero de Daniel. "Sou fã dele e vou levar como lembrança." Estrada perigosaSegundo a Polícia Rodoviária, a estrada entre Sorocaba e Salto de Pirapora é uma das mais críticas da região e, somente nos últimos dois anos, registrou 17 mortes. O ex-parceiro de Daniel, João Paulo, morreu em setembro de 1997, em um acidente na Rodovia dos Bandeirantes, na Grande São Paulo. O automóvel BMW que ele dirigia explodiu depois de um capotamento. Desde então, Daniel segue em carreira solo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.