Depois do samba-enredo, muito rock´n´roll

Após um preguiçoso período de shows quase que exclusivamente nacionais e com os arroz-de-festa já conhecidos, U2 na semana passada fez as honras de cortar a faixa que inicia os shows de 2006. Para esta semana, a sueca Lina Nyberg é a primeira boa surpresa, com sua bossa nova eletrônica de fazer inveja a 99,9% dos neo-mpbistas por aqui. Os holandeses do The Gathering, outra banda que merecia ser mais conhecida, fazem rock indie que merece ser ouvido, com texturas e vocal algo etéreos, muito diferente e mesmo assim com um espírito melancólico levemente similar ao da época em que eram da turma do metal gótico. Millencolin faz "skate rock" (que vem a ser uma vertente do hardcore, não me pergunte a diferença) honestamente adolescente e honestamente desencanado desde a década de 80. E, para não me acusarem de crime de lesa-pátria, João Donato, um dos pais da bossa nova e um dos artistas mais citados por outros artistas da geração, é a prata da casa que merece a visita esta semana. Mas claro, tudo isso é apenas um breve aquecimento para o que vem por aí. Na semana que vem, já chegam os super-superstars (mais por vontade do que por mérito) do Oasis (15). E o grupo "bregas, mas felizes" Foreigner (16). Na semana a seguir, opções para a geração 60 e 80 com o "latin rocker" Santana (17) e o "dark fofo" Echo And The Bunnymen (19). Jamiroquai (24) e Helloween (25) esquentam o fim do mês e, já em abril, o Campari Rock abre a estação de festivais, com Supergrass, Mission of Burma, David Carretta e Fixmer-McCarty.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.