Dentista desmente mãe do acusador de Jackson

Uma ortodontista testemunhou hoje no julgamento de Michael Jackson não ter percebido nenhum sinal de que o acusador do músico e a família dele estavam sendo mantidos presos na propriedade do astro quando foram ao consultório dela para uma consulta que, de acordo com a mãe da suposta vítima, teria sido marcada para uma tentativa de fuga de Neverland. A doutora Jean Lorraine Seamount foi chamada a depôr pelos advogados de Jackson para desmentir o depoimento da mãe do menino, que disse ter inventado que os filhos precisavam de tratamento dentário como maneira para tentar fugir do rancho Neverland.Jackson, de 46 anos, é acusado de molestar um menino de 13 anos e doente de câncer entre fevereiro e março de 2003, além de dar-lhe vinho. Jackson também é acusado de conspirar com seus sócios para manter a família presa para que fizessem um vídeo de reconstrução da imagem do cantor.Jean testemunhou sobre a visita do acusador, o irmão e a irmã dele, em 24 de fevereiro de 2003. Ela disse que não havia nenhum funcionário de Jackson junto com eles, como disse a mãe, e nenhum sinal de que eles estavam presos contra a própria vontade. Ela também disse que o acusador se comportou mal e mexeu nas gavetas. Questionada pelo promotor Ron Zonen sobre o modo como as crianças haviam sido descritas, ela disse "pacientes VIP". Jean disse que se os pacientes tinham necessidades especiais, eles eram descritos como VIPs, o que lhes dava alguns privilégios no agendamento de consultas. Advogados da defesa estão esperando uma decisão do juiz sobre um pedido para autorizar o depoimento de um empregado de Jackson, para quem a irmã do acusador teria dito que a mãe dela e o namorado da mãe estavam planejando "algo grande" envolvendo Jackson. Promotores dizem que a declaração não passa de rumores e que não deveria ser aceita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.