Defesa de Jackson consegue vitórias em discussões sobre testemunhas

A defesa do cantor Michael Jackson conseguiu algumas vitórias na sessão do julgamento desta quinta-feira, que foi dedicada às discussões sobre a apresentação de novas testemunhas, entre elas o ator Macaulay Culkin. O protagonista do filme "Esqueceram de mim", amigo de Jackson desde a década de 90, é uma das pessoas que poderá testemunhar no caso. Segundo fontes citadas pela rede CNN, o ator, de 24 anos, participará como testemunha da defesa. Ele negou várias vezes ter sido vítima de abusos sexuais por parte do cantor. No entanto, dois ex-empregados de Jackson testemunharam na semana passada que viram o cantor com a mão na coxa de Culkin, então menor de idade, mas essas declarações tenham sido contestadas pela defesa. O juiz Rodney Melville, encarregado do caso, quer dar amanhã, sexta-feira, um descanso para o júri enquanto se reúne a portas fechadas com os advogados para discutir várias questões pendentes. Uma dessas questões é o pedido da procuradoria para apresentar uma nova testemunha relacionada aos supostos abusos sexuais cometidos pelo cantor americano há dez anos, mas pelos quais nunca foi processado, com intenção de mostrar que existe um histórico de pedofilia no comportamento de Jackson. Nova testemunhaO juiz autorizou finalmente o depoimento de uma nova testemunha, Kassim Abdool, um ex-empregado de Jackson, mas só para confirmar a acusação de outro guarda do rancho "Neverland" que teria visto o cantor cometendo um ato sexual com um menino. No entanto, o juiz decidiu que Abdool não falará sobre um suposto incidente sexual de Jackson com o menor, durante o qual teria levado vaselina ao quarto do cantor. Esse jovem é o mesmo que há mais de uma década fechou um acordo milionário com o cantor e por isso nunca processou Jackson. Para a defesa de Jackson, Abdool é outro empregado do cantor que estaria tentando se vingar por ter sido despedido. Junto com seus companheiros, ele processou Jackson por ter sido despedido, mas perdeu a causa em 1997. Em Nova Jersey (EUA), outra possível testemunha da defesa no caso Jackson foi acusado de assédio sexual a uma menor. Ahmad Elatab, 18 anos, também está acusado de manter contato sexual e atentado ao pudor contra uma menor. O jovem, que esteve no rancho "Neverland" com o menor que agora acusa Jackson de abuso sexual, disse que a suposta vítima afirmou que Jackson havia lhe ajudado a lutar contra o câncer por meio da meditação. A acusação comunicou sua intenção de concluir sua parte do julgamento no final da próxima semana, quando começariam os depoimentos das testemunhas de defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.