Divulgação
Divulgação

Danilo Caymmi festeja a amizade em show com Geraldo Carneiro

Cantor celebra memória afetiva com poeta que, interessado na Academia Brasileira de Letras, enfrenta campanha para que corte os longos cabelos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2016 | 04h00

Uma das marcas registradas do poeta Geraldo Carneiro - além de seus versos bem humorados - é a vasta cabeleira. “Se cortá-la, sou capaz de perder minha mulher por abandono e o garçom do meu bar preferido não me servir mais”, brinca ele, cujos fios abundantes podem lhe trazer prejuízo - candidato favorito à vaga deixada pelo crítico Sábato Magaldi na Academia Brasileira de Letras, Geraldinho (como preferem os amigos, apesar de seu 1,83 m) já recebeu recado de dois imortais: só o apoiam se ele cortar o cabelo.

“Conversei com um deles, o historiador Evaldo Cabral de Mello, que foi muito simpático e não tocou no assunto”, conta, prudente, o poeta, que estreia, neste sábado, 30, o espetáculo Falando de Amor, ao lado do cantor Danilo Caymmi, no Sesc Bom Retiro. “Ainda não falei com o outro imortal, o jurista Alberto Venâncio Filho, mas gosto de lembrar, por exemplo, de outros poetas, como Tomás Antonio Gonzaga, que ostentava uma vasta cabeleira. E a vida é curta para se mudar de estilo.”

A vaga deixada por Magaldi ainda não foi declarada oficialmente aberta, mas Geraldo Carneiro é apontado como virtual vencedor. “Não comecei ainda o rito de fazer visitas para pedir votos, mas isso não será problema, pois adoro me encontrar com as pessoas e de conversar.”

De fato, a amizade dá o tom ao show Falando de Amor, que Geraldo e Danilo dividem com o violonista Davi Mello. “Vai ser uma mistura de conversa entre amigos com a apresentação de canções, sobretudo de amor”, conta o poeta. Assim, além da presença obrigatória de clássicos de Dorival Caymmi, o espetáculo terá também canções de Tom Jobim, amigo e mentor da dupla de amigos. “Tom, aliás, em um determinado momento da vida, sentiu-se atraído a concorrer a uma vaga da ABL”, confidencia Geraldo.

O roteiro traz clássicos como Codajás (Ronaldo Bastos/ Danilo Caymmi), Só Louco (Dorival Caymmi) e Por Causa de Você (Tom Jobim/Dolores Duran), entre outros. O palco também terá um toque especial - transformado em um livro de memórias, o cenário é formado por fotografias feitas por Danilo, ao longo de sua viagem pelo mundo pela internet. E retratam tanto imagens quase abstratas, quanto flagrantes do cotidiano. “É deste casamento entre som e imagem, música e poesia, que se alimenta o espetáculo”, afirma Danilo.

Os dois se conheceram de uma maneira insólita. Segundo Geraldo, já se conheciam mas, durante a Copa do Mundo de 1070, decidiram torcer juntos contra a Seleção Brasileira, que representava a ditadura militar. “Era o jogo contra a então Checoslováquia, para quem torcíamos. Mas, quando tomamos o primeiro gol, foi um silêncio danado. Bastou o Brasil empatar que comemoramos tanto que quebramos a cama do Dorival Caymmi - assistimos ao jogo na casa dele, onde a TV ficava no quarto”, diverte-se Geraldo que, na confusão, solidificou uma amizade.

O poeta vai lançar também, na segunda, 1º, o livro Subúrbios da Galáxia, a partir das 19h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

FALANDO DE AMOR

Sesc Bom Retiro. Alameda Nothmann, 185. Tel. 3332-3600. Sáb. (30/7), 21 h. Dom. (31/7), 18 h. R$ 9 / R$ 30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.