"Cyrano de Bergerac" é novo triunfo de Plácido Domingo

A estréia de Cyrano de Bergerac, de Franco Alfano, na Ópera Metropolitana foi um sucesso inesperado da temporada por dar ao tenor Plácido Domingo uma nova oportunidade de triunfar nooutono de sua carreira e por resgatar uma obra esquecida de considerável mérito.O tenor de 64 anos foi um dos cantores mais ousados em termos de repertório, que inclui todos os papeis importantes de Verdi e Puccini, e também Wagner e Mozart, assim como compositores russos e franceses.Apesar de recentemente ter renunciado a alguns papéis como o Otelo de Verdi e favorecido outros que não exijam demasiadas notas agudas, Domingo continua cantando com um estilo e uma beleza tonal que poucos tenores mais jovens possuem hoje em dia.O novo personagem de Domingo, seu papel de número 121, é um poeta denariz descomunal, que foi imortalizado na peça homônima de Edmond Rostand de 1897, que por sua vez inspirou a música de Alfano sobre um libreto francês. Trata-se de uma ópera melancólica que estreou em 1936.A soprano Sondra Radvankovsky fez o papel de Roxana e o tenor Raymond Very viveu o ingrato papel de Christian,o soldado que se enamora de Roxane, mas precisa dos poemas de Cyrano para conquistar seu coração. O barítono Anthony Michaels-Moore fez o papel de De Guiche, um nobre que que se aproximar de Roxana e persegue Christian.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.