Curitiba abre sua 20.ª Oficina de Música

A cidade de Curitiba abriga a partir de hoje a 20.ª edição de sua tradicional Oficina de Música. Nela, cerca de 2.000 alunos de todo o País espalham-se por diversos espaços da capital paranaense para participar de oficinas com importantes músicos brasileiros e estrangeiros, nas áreas erudita e popular. O concerto que marcou a abertura oficial do evento, que vai até o dia 25, foi realizado ontem à noite no Teatro Guaíra, com uma apresentação da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba regida pelo maestro Cláudio Cruz e a participação do violoncelista Antonio Meneses e do pianista Ricardo Castro.Meneses e Castro, dois dos principais artistas brasileiros radicados na Europa, compõem a lista de professores que participam este ano da Oficina. Ao lado deles, nomes como Dale Clavenger (primeiro trompista da Sinfônica de Chicago), Shmuel Ashkenazy (violinista do renomado Quarteto Vermeer), o flautista brasileiro Ricardo Kanji, o alaudista norte-americano Hopkinson Smith e o maestro português Osvaldo Ferreira, que trabalhou como assistente do maestro Claudio Abbado em Berlim.Ao todo, entre música erudita e popular, serão realizados cerca de 107 cursos, ministrados por 100 professores de 15 países. Também estão previstos 80 concertos, com grupos artísticos da cidade, professores e alunos participantes ? o encerramento da parte erudita, por exemplo, será marcado pela apresentação da Sagração de Primavera, de Stravinski, com a Orquestra Sinfônica do festival regida pelo maestro Oliveira. Na área popular, destaque para as apresentações de Hermeto Pascoal e sua banda.Por trás da Oficina está pela segunda vez o oboísta curitibano Alex Klein. Músico da Orquestra Sinfônica de Chicago, ele assumiu a direção do evento no ano passado, com a proposta de tornar Curitiba um centro de referência no ensino musical brasileiro, criando uma estrutura estável de trabalho e dando uma nova cara à Oficina. Klein recebeu, no ano passado, o prêmio Grammy de melhor performance instrumental-solo de 2001, pela gravação de uma obra de Strauss regida pelo maestro Daniel Barenboim em Chicago. O disco foi lançado pelo selo alemão Teldec.

Agencia Estado,

06 de janeiro de 2003 | 10h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.