Cultura Artística anuncia programação 2003

A Sociedade de Cultura Artística abre nesta segunda-feira a venda de assinaturas para a temporada 2003. Com atrações como o Quarteto Alban Berg e a Orquestra Sinfônica de Milão Giuseppe Verdi, a sociedade fará apenas renovações para antigos assinantes que pretendem manter os mesmos lugares e dias do ano passado (o prazo se encerra no dia 21). Nos dias 8 e 10 de março, poderão ser feitas renovações com trocas de lugares e dias. E, a partir de 13 de março, será a vez dos novos assinantes.A temporada 2003 do Cultura Artística vai começar em abril, com três recitais da contralto francesa Natalie Stutzmann, acompanhada da pianista sueca Inger Södergren. Natalie despontou há alguns anos como uma das principais intérpretes do lied alemão da nova geração. Schumann e Schubert estarão no centro dos programas de seus recitais, que também incluem canções de amor de franceses como Poulenc, Fauré, Debussy e Chausson.Chostakovich dedicou a 14ª Sinfonia à Orquestra de Câmara de Moscou, segunda atração da temporada da SCA, que se apresentará em maio. Obras do compositor russo, aliás, estarão nos três concertos do grupo, que toca em São Paulo sob regência do maestro norte-americano Constantine Orbelian, seu diretor desde 1991, e tendo como solista o trompetista Vladislav Lavrik.Em junho, é a vez da Orquestra Sinfônica de Milão Giuseppe Verdi - ou Orquestra Verdi de Milão, nome mais econômico e popular entre o público de sua cidade de origem. É uma orquestra relativamente nova, está completando 10 anos. Mas, nesse tempo, reuniu importantes músicos, como o Regente Emérito Carlo Maria Giulini e o compositor Luciano Berio, que é o seu regente honorário.Em São Paulo, o grupo tocará sob regência de seu diretor, Riccardo Chailly, tendo como solista Nelson Freire, que vai interpretar concertos de Chopin e Beethoven, complementado programas que têm ainda obras de Brahms, Rachmaninoff e Stravinski.O violinista Fabio Biondi e seu Europa Galante, conjunto especializado no repertório barroco, voltam a São Paulo em junho com Scarlatti, Durante, Pergolesi, Vivaldi e cia. Os concertos ocorrerão dias antes da chegada do Quarteto Alban Berg, grupo austríaco formado por Günther Pichler, Gerhards Schulz, Thomas Kakuska e Valentin Erben. Não será a primeira vez que o Alban Berg - que, no nome, homenageia o compositor austríaco, autor de Wozzeck - virá à cidade.Mas trata-se de uma daquelas visitas que é sempre bom receber, tamanha a qualidade e a clareza da música feita por eles, seja de Mozart e Haydn ou de Janácek, Smetana e Schnittke, compositores presentes nas apresentações no Cultura Artística.O segundo semestre também é praticamente todo dedicado à música de câmara. E a primeira atração, em agosto, é o Ensemble TM +, conjunto francês especializado na música do século 20, como mostra o repertório das apresentações: obras de Ravel, Poulenc, Stravinski, Boulez, Debussy.Ainda em agosto, o recital que deve ser um dos principais eventos musicais do ano na cidade, reunindo o violoncelista Antonio Meneses e o pianista alemão radicado nos Estados Unidos Menahem Pressler. Os dois trabalham juntos desde 1998 no Beaux Arts Trio, grupo do qual Pressler faz parte desde 1955. Se Meneses é um dos maiores violoncelista da atualidade, Pressler tem lugar de honra entre os músicos que se dedicam à atividade camerística. Elementos mais do que indicados para o ciclo das sonatas de Beethoven que compõe o recital. Em setembro, Ivan Fischer rege rege a Budapest Festival Orchestra em obras de Milhaud, Stravinski, Bartok, Schubert e Beethoven. E, no mesmo mês, o trio L´Archibudelli, da Holanda, vai dedicar três apresentações ao repertório escrito por Beethoven a este tipo de formação.O ano do Cultura Artística se encerra, em outubro, com uma grande homenagem ao compositor Gioachino Rossini. Sob regência de Alessandro Pinzauti, a Camerata Strumentale Città di Prato e um elenco de solistas ainda não definido. No programa, trechos de O Barbeiro de Sevilha, Semiramide, L´Italiana in Algeri, Tancredi, Il Turco in Italia, La Cenerentola e Il Signor Bruschino.O preço das assinaturas para as dez apresentações varia de R$ 815 a R$ 1.700. Há também a opção de adquirir ingressos apenas para nove concertos (de R$ 700 a R$ 1.470). Mais informações pelos telefones (0--11) 3129-7001 e (0--11) 3256-0223.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2003 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.