Cuba censura ativismo anticastrista de Celia Cruz

A imprensa cubana noticiou hoje a morte da rainha da salsa Celia Cruz, aos 78 anos, de câncer, frisando sua oposição ao governo de Fidel Castro. O diário oficial Granma destacou que a cantora, que morreu ontem, em New Jersey, "durante as últimas quatro décadas se manteve sistematicamente ativa em campanhas gestadas nos Estados Unidos contra a Revolução Cubana".Celia nasceu em Cuba e se auto-exilou em 1960, um ano depois da chegada de Fidel ao poder. Mais de quarenta anos depois de deixar a ilha, Celia Cruz ainda é uma figura muita querida dos cubanos - embora sua música não toque no país. Um bom exemplo é a regravação de El Carnaval, que, na voz de Isaac Delgado, foi um dos recentes sucessos na ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.