Courtney Love será julgada por atacar uma mulher

A roqueira Courtney Love foi intimada a passar por julgamento do caso em que é acusada de atacar uma pessoa, apesar de dos argumentos de seu advogado de que o caso foi supervalorizado. O Delegado da Corte Superior Sanjay Kumar ouviu, ontem, o testemunho da suposta vítima da cantora, Kristin King, e de um vizinho da área onde aconteceu o incidente, em 25 de abril. "Há evidências de que sem ter sido provocada, a acusada atirou uma garrafa na vítima e seguiu-a com uma lanterna", ele disse. Courtney foi chamada para uma audiência em 10 de novembro. Ela está livre após pagar uma fiança de US$ 150 mil."Esperamos que isso se resolva de modo a permitir que ela continue com sua vida", disse o advogado de defesa da cantora Howard Weitzman.O caso é um de uma longa lista de problemas legais envolvendo Courtney, líder do extinto grupo Hole e que é viúva do vocalista do Nirvana, Kurt Cobain.Weitzman disse que os problemas de Courtney com drogas faziam parte do passado. "Ela não poderia estar melhor que está agora", disse.Kristin testemunhou que Courtney foi até a casa de seu ex-namorado Jim Barber e encontrou-a dormindo no sofá. Ela disse que Courtney pegou uma garrafa e jogou contra ela, depois atirou uma vela e apertou seus seios. A vizinha Marilyn Corre depôs que foi acordada com os gritos e o choro. "Aí eu vi outra mulher seguindo a outra", ela disse. "Ela tinha em uma das mãos uma lanterna enorme e estava usando-a como se fosse uma arma". Weitzman insistiu que a pena fosse amenizada. Ele disse que se tratava apenas de uma caso de "diz-que-diz" e que o depoimento dado pela vítima poderia não ser todo verdadeiro. No dia 20, Courtney declarou-se culpada no processo em que é acusada de má conduta por atacar um fã com a base de um microfone em uma danceteria de Nova York, enquanto fazia uma apresentação. A juíza da Corte Criminal de Manhattan, Melissa Jackson, deu a Courtney liberdade condicional, ou seja, o caso será encerrado depois de um ano se ela pagar US$ 2.236 à vítima para cobrir despesas médicas, fazer tratamento para recuperar-se do vício de drogas e não cometer outros crimes.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2004 | 14h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.