Corte russa proíbe vídeo 'extremista' da banda Pussy Riot

Uma corte russa determinou na quinta-feira que imagens de vídeo do grupo de punk Pussy Riot protestando contra o presidente Vladimir Putin em uma igreja eram "extremistas" e disse que iria retirá-lo de websites.

Reuters

29 de novembro de 2012 | 13h01

A corte de Moscou disse que havia baseado sua decisão em conclusões de um painel de especialistas que estudaram o material de vídeo, que mostra a banda em mini-saias coloridas e máscaras de ski dançando em frente ao altar da principal catedral ortodoxa russa de Moscou.

A juíza Marina Musimovich disse que o vídeo "tem elementos de extremismo, em particular palavras e ações que humilham vários grupos sociais baseadas em suas religiões."

Duas integrantes da banda, Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova, estão cumprindo dois anos de prisão por causa da performance em fevereiro passado. Uma terceira integrante, Yekaterina Samutsevich, teve sua pena suspensa após apelação.

O protesto enfureceu muitos cristãos ortodoxos russos, porém Putin foi criticado pelos EUA e líderes europeus por sentenças que consideraram ser desproporcionais.

(Texto de Gleb Bryanski)

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAPUSSYRIOTVIDEOPROIBIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.