Corpo de Vanzolini é sepultado em SP

Cerca de 200 pessoas estiveram presentes para o adeus ao compositor

Jotabê Medeiros - O Estado de S.Paulo,

29 de abril de 2013 | 19h52

O corpo do compositor e zoólogo Paulo Vanzolini foi sepultado às 17h desta segunda-feira, 29, no Cemitério da Consolação, com a presença de amigos, músicos, discípulos e a família - sua mulher, Ana Bernardo, e seus filhos e netos. Cerca de 200 pessoas estiveram para o adeus ao autor de Ronda e Volta por Cima, duas canções simbólicas da cidade de São Paulo no último século. Vanzolini morreu de pneumonia no domingo, às 23h35, após três dias internado no hospital Albert Einstein.

Ao lado de Adoniran Barbosa, Vanzolini concebeu uma coleção de canções - poucas, cerca de 70 - que o consagraram como um dos grandes cronistas da boemia e da noite de São Paulo. Ele tinha tido um derrame há alguns anos, e desde então sua saúde se encontrava fragilizada. A Virada Cultural, no dia 19 de maio, deve fazer uma homenagem ao artista e cientista.

O secretário municipal de Cultura de São Paulo, Juca Ferreira, divulgou uma nota de pesar sobre a morte de Vanzolini:

"Paulo Vanzolini foi um grande sambista, dos maiores que São Paulo produziu. Sua música é parte do repertório afetivo da cidade. O cantor, compositor e zoólogo também foi um dos raros seres humanos que conseguiu viver a ciência e a arte com igual desenvoltura. Isso sem jamais deixar de aproveitar o que a vida nos oferta de bom: sabia, como ninguém, que a alegria é a prova dos nove. Entendo que não há forma melhor de homenagear Vanzolini do que celebrar sua vida com shows de música, em especial de samba, seu gênero de predileção. Vanzolini simbolizava a forma singular de o brasileiro viver a liberdade e por isso sua memória permanecerá".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.