Corpo de Mário Lago é enterrado no Rio

O corpo do ator, compositor e escritorMário Lago foi enterrado hoje, no cemitério São João Batista, emBotafogo, zona sul do Rio. Ele tinha 90 anos e morreu em casa,na noite de quinta-feira, de insuficiência respiratória,provocada por enfisema pulmonar. Durante o enterro e o velório,no Teatro João Caetano, fãs, amigos e familiares cantaramgrandes sucessos de Lago como Amélia e Aurora,acompanhados pela Velha Guarda da Mangueira, escola de samba docompositor.Um de seus fillhos, Mário, definiu a homenagem ao pai"como uma consagração." O corpo de Mário Lago chegou aocemitério em um carro do Corpo de Bombeiros e foi recebido comaplausos por mais de 300 pessoas que compareceram ao São JoãoBatista. O caixão com o corpo do ator estava coberto pelasbandeiras do PT, do Partido Comunista e do Fluminense FutebolClub."Ele nos deixa no momento em que mais precisamos dele, maso seu legado é essa experiência que ele nos deixa paraaplicarmos em nossas vidas. Ele era um brasileiro completo, comointelectual, artista e militante político", disse agovernadora do RJ, Benedita da Silva.Segundo o ator Francisco Milani, Mário Lago "foi umexemplo de cidadania, de trabalhador, de preocupação com oBrasil. Tinha a exata consciência de como nossa profissão podecontribuir com o País.""Ele era um militante de qualquer causa boa",ressaltou o deputado estadual Chico Alencar (PT), lembrando queLago foi um dos primeiros a assinar o manifesto a favor de MáriaEugênia, ex-companheira da cantora Cássia Eller - no fim do anopassado - para ter a posse e guarda de Francisco Eller, o Chicão, filho da artista.Se Mário Lago foi importante referência para os colegasde profissão, sempre teve o respeito e o reconhecimetno daclasse política."Para nós brasileiros, Mário Lago é um símbolode continuidade e de luta pela justiça social no País",declarou o senador Eduardo Suplicy, que compareceu ao velório eao enterro representando a direção nacional do PT.Mário Lago também foi lembrado pelo espírito alegre egeneroso com que levava a vida. "Mário soube viver da suaboemia e procurava viver suas idéias", comentou o diretor de TV, Daniel Filho, lembrando que durante a ditadura militar o atordestinava parte de salário para ajudar exilados políticos.Artistas e políticos levarão a diante o projeto de fazerum show em homenagem a Mário Lago. O evento servirá também paraarrecadar recursos para ajudar nas despesas médicas do ator, quemorreu acumulando uma dívida de mais de R$ 30 mil com seutratamento. No próximo dia 12, o ator receberia da AssembléiaLegislativa o título de Cidadão Benemérito do Estado do Rio deJaneiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.