Corpo de James Brown ainda não foi sepultado

Os filhos de James Brown ainda não definiram quando e onde será enterrado o "pai do soul" e continuam discutindo com seus advogados os pormenores de seu sepultamento e de sua herança.Enquanto isso, os restos mortais de Brown, morto no dia 25, aos 73 anos, de insuficiência cardíaca, jazem em um caixão lacrado em sua casa em Beech Island, na Carolina do Sul, segundo informou Charles Reid, gerente da Casa Funerária C.A. Reid em Augusta, na Georgia, que foi encarregado do serviço funerário do cantor.A temperatura do quarto onde fica o corpo de Brown mantém-se controlada e a casa é guardada por guardas de segurança. Segundo Reid, a casa funerária transladou os restos de Brown após as despedidas que reuniram admiradores do cantor como Michael Jackson no Teatro Apolo de Nova York, no dia 29, e em sua cidade natal, Augusta, na Georgia, no dia 30. A casa de Brown foi fechada horas depois de sua morte para proteger seus objetos de interesse, como móveis, roupas e outros artigos pessoais, disse o advogado do cantor, Buddy Dallas."Imaginem o que teria acontecido... As coisas de James Brown teriam desaparecido como artigos das prateleiras da Macy´s (loja de departamentos) na liquidação após o Natal".Segundo Dallas, o local do enterro será determinado pelos responsáveis por seu testamento e pelos filhos de Brown. Tomi Rae Hynie, a mulher de Brown, foi impedida de entrar na casa onde viviam com seu filho de 5 anos pouco após sua morte, quando encontrou as portas da casa fechadas. A mulher não discutiu o incidente e seu advogado não esclareceu quais as medidas legais que tomará."A esperança é de que todas as partes possam sentar para discutir qual é o problema", disse o advogado Thornton Morris. Há ainda uma pendência em relação à herança de Brown, com o processo movido contra o cantor por Jacque Hollander, uma mulher que alega ter sofrido abuso sexual há quase 20 anos. Ela pediu ao Supremo Tribunal Federal que escute seu caso, depois que uma corte de instância menor decidiu no ano passado que ela havia esperado demais para falar. A decisão do Supremo está pendente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.