Corey Harris mostra em SP a nova cara do blues

Pode pedir a quem você quiser um nome de um músico de blues que seja realmente moderno hoje em dia. Em todas as listas, certamente aparecerá o nome de Corey Harris, guitarrista de Denver, Estados Unidos. Para exemplificar o caminho que o blues tomou nos tempos modernos, o cineasta Martin Scorsese incluiu uma performance de Harris em seu filme, Feel Like Going Home, que integra a série The Blues, da rede PBS. Ele é a atração de hoje do festival Jambalaya!, no Bourbon Street. Também vai à Fnac para falar do filme The Blues, de Scorsese.Harris canta, toca e escreve música. Mas é na abordagem musical e nos seus arranjos que ele subverte o gênero. Usa tuba para abrir um blues que se conecta com ritmos caribenhos. E vai atrás do repertório esquecido do gênero para recuperar sua legitimidade, como fez como Bumble Bee Blues, de Memphis Minnie. "Eu acredito que temos de aprender com as raízes primeiro, para depois criar. Se você me pede para definir minha música, eu diria que faço música de raiz, faço música negra", diz Harris ao Estado. "Eu não acho que exista uma luta entre a tradição e a nova música no blues. É preciso aprender com a experiência, mas não se pode ignorar o que se faz no mundo que a gente vive."Harris tem um disco gravado com Henry Butler, pianista de Nova Orleans que foi convidado para o Tim Festival - é o único artista do cast do festival cujo cross-over também evoca o blues. "Ele, na verdade, tocava primeiro jazz. Tocou com Jack DeJohnette durante muito tempo. Mas ama todo tipo de música", conta o guitarrista. "O blues é a raiz. Todo o resto são os frutos", diz Willie Dixon, em frase destacada no álbum da série The Blues. Corey Harris diz que, no filme de Scorsese, faz o seu próprio papel, tocando, cantando e conversando durante um mergulho nas margens do Mississippi, berço histórico do blues americano. "Para mim, a música é um caminho para energizar e comunicar sentimentos", diz Harris. "Historicamente, esse também é o papel que o blues ocupa na música, e é por isso que costumo me definir como um bluesman."Corey Harris. Hoje, às 22h30. R$ 35,00. Bourbon Street Music Club. Rua dos Chanés, 127, tel. 5095-6100.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.