Conquista da América pelos Beatles completa 40 anos

Neste sábado os beatlemaníacos de todo mundo têm uma data a celebrar. Há 40 anos, em 7 de fevereiro de 1964, o vôo 101 da companhia TWA aterrissava em Nova York com o quarteto musical que se tornaria o maior, mais famoso e mais incensado na história da música pop. A chegada dos Beatles aos Estados Unidos, levados pelo apresentador de TV Ed Sullivan, deu início à mania que tomou conta de uma expressiva parcela da juventude de então: a Beatlemania. Quem viu o filme Febre de Juventude, figura fácil da programação vespertina da Globo nos anos 80, tem uma idéia do que foi aquela turnê de 16 dias dos Fab Four na terra de Tio Sam. Milhares de fãs cercando o hotel, a busca incansável de um grupo de meninas por um convite para ver o Ed Sullivan Show ao vivo, a imagem do programa de verdade aparecendo no visor da câmera que filma os Beatles da ficção, cujas faces a própria câmera encobre.O cinema foi capaz de um relato bem próximo da realidade frenética de fãs e mídia em torno do grupo inglês. Mas não contou tudo. Se já eram sucesso absoluto na Europa, os Beatles não tinham ainda conquistado a América. E talvez não conquistassem tão cedo não fosse o atraso do vôo de volta para Nova York de Ed Sullivan, provocado justamente pela chegada dos Beatles em Londres, após uma turnê na Europa. O esperto Sullivan então percebeu que efeito aqueles quatro cabeludos poderiam ter do outro lado do Atlântico. Ao todo eles passaram 16 dias nos Estados Unidos e se apresentaram três vezes no Ed Sullivan Show, duas ao vivo e um gravada. A primeira delas foi em 9 de fevereiro, domingo, à noite. Este programa teve 70 milhões de espectadores, maior audiência da história até então. Começaram com All My Loving, seguiram com a balada Till There was You, She Loves You, I Saw Her Standing There e I Want To Hold Your Hand. A segunda apresentação, feita num hotel em Miami, bateu novamente o recorde, alcançando 75 milhões de espectadores.Consagrados, John, Paul, George e Ringo viveram intensamente sua lua de mel com os Estados Unidos. Seduziram a imprensa, carrearam multidões de fãs e deram shows em casas importantes, como o Carneggie Hall, em Nova York. Deixaram para trás o disco I Want To Hold Your Hand em primeiro lugar na lista dos mais vendidos, posto que pouco depois seria ocupado também pelo single She Loves You. E tomaram o lugar de Elvis Presley como o número 1 no coração da juventude. A mania tinha começado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.