Confira os ganhadores do prêmio Carlos Gomes

O maestro Diogo Pacheco adora tergiversar. E isso ele fez de sobra na entrega do 10º Prêmio Carlos Gomes de Música Erudita, no Theatro São Pedro, em São Paulo. Vencedor do Prêmio Especial, Pacheco deu aula de sabedoria: ?É um prêmio de vida. Estou feliz e agradeço principalmente ao público. Sempre digo que prefiro fazer um concerto em que o público não seja preparado do que para uma platéia pretensamente erudita. Minha função continua sendo divulgar a música clássica.?Aos 80 anos, arrancou aplausos esfuziantes num discurso de quase 15 minutos. Foi o ponto alto de uma noite em que Marcos Mendonça, presidente da Fundação Padre Anchieta, defendeu mais uma vez a vocação para a música erudita da TV, da Rádio Cultura e da Fundação, quem tem sido alvo de críticas por ter extinguido a Sinfonia Cultura e feito mudanças na programação da rádio. Os vencedores das 11 categorias agradecem o apoio. Entre uma apresentação e outra do pianista Gilberto Tinetti, subiram ao palco o violonista Fabio Zanon, Solista Instrumental do ano; Eduardo Monteiro, Pianista do Ano; o Trio Brasileiro, Grupo de Câmara, Edinéia de Oliveira, Destaque Vocal Feminino; José Gallisa, Destaque Vocal Masculino. O Troféu Guarany foi para a Revista Concerto; a revelação do ano foi Sávio Sperandio.Destaque para Robério Braga, secretário de Cultura do Amazonas, e Luiz Fernando Malheiro, diretor do Festival Amazonas, que receberam os prêmios de Universo da Ópera e Espetáculo do Ano pelo audacioso projeto de encenar a Tetralogia de O Anel do Nibelungo, de Wagner. ?Este prêmio é muito mais do Malheiros que do Amazonas. Devemos isso a ele?, conclui Braga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.