Concerto de pianista no Acre vira alvo de disputa política

O prefeito de Xapuri, no Acre, Wanderlei Viana (PMDB), está ameaçando inviabilizar concerto do pianista carioca Arthur Moreira Lima, programado na cidade para 2 de junho. Contrariado porque o evento foi organizado pelo governo petista do Acre, de quem é adversário político, Wanderlei está anunciando para a mesma data, horário e a cem metros do pianista um show com o forrozeiro piauiense Frank Aguiar. "Quero ver quem tem mais público em Xapuri", desafiou em entrevista a um jornal online de Rio Branco. O prefeito não foi localizado para confirmar o show. Mas não esconde o descontentamento, pois acredita que foi passado para trás quando o governador articulou o concerto do pianista. "A iniciativa de articular com o Estado (do Acre) foi do artista e ocorreu no início do ano passado. Nós só ajudamos com a logística, não colocamos dinheiro", diz o presidente da Fundação Cultural do Estado, Antonio Assis Pereira. Wanderlei Viana é adversário do governador Jorge Viana, com quem não têm parentesco. Cunhado do fazendeiro Darly Alves da Silva, mandante da morte de Chico Mendes, Wanderlei foi prefeito de Xapuri nos anos 80, quando Jorge era militante do movimento ambientalista que vitimou o líder ambiental e sindicalista. Moreira Lima se apresenta em Rio Branco no sábado, em Xapuri na sexta e em Brasiléia no próximo domingo. Os concertos são parte do projeto "Um Piano na Estrada", patrocinado pela Lei Rouanet de incentivo à cultura. Há pouca confiança de que o forró seja para valer. "A prefeitura não tem cacife pra bancar o cantor", diz a diretora da Câmara de Vereadores, Kelma Castro. Sua desconfiança não é sem razão. A agenda de Frank Aguiar divulgada em seu site prevê, em 2 de junho, apresentação em Araçatuba (SP). Wanderlei é conhecido por bravatas e uma prisão em flagrante por tráfico de cocaína, em 2000. Em janeiro deste ano, foi inocentado pelo Pleno do Tribunal de Justiça do Acre, que determinou ao Ministério Público seu indiciamento por porte de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.