Computador é aliado das bandas independentes

Artistas e bandas independentes, que não usufruem da infra-estrutura de uma grande gravadora, nem têm livre trânsito em programas de rádio e TV, descobriram um instrumento de divulgação eficaz e, acima de tudo, democrático: a internet. "Não sei o que seria da nossa banda sem a internet", admite o baterista Fernando Adura, do conjunto Garret. "Sem ela, ficaria mais difícil divulgar o grupo."A banda traz no currículo 10 anos de estrada e um repertório próprio, recheado de letras em inglês, na linha rock-pop. Quem fizer uma visitinha ao site www.garret.com.br, consegue não só baixar e ouvir todas as canções do primeiro CD do grupo, Thoughts from the Attic, como também consultar agenda de shows. Uma das representantes da boa safra de rock independente de Belo Horizonte, a banda Cartoon, há cerca de dois anos, se deu conta de que um site do grupo seria um bom negócio e criou o www.bandacartoon.com.br. Até o final do ano, estão nos planos do grupo incrementar a homepage, que, até hoje, mantém mala direta com mais de mil pessoas cadastradas. Nela, o internauta baixa músicas, compra CDs, tem acesso a cifras, ao histórico da banda, fotos. "É um investimento que vale à pena. Pessoas da Europa e EUA conheceram nossos CD graças à internet."O guitarrista e vocalista Paulo Mancha, do irreverente Tubaína, gaba-se do fato de seu grupo ser um dos primeiros da cena independente brasileira a ter site (www.tubaina.com.br). Inspirado num rock bem humorado, à la Língua de Trapo e Joelho de Porco, o Tubaína está com dois de seus três CDs esgotados, graças principalmente à internet. "Tem gente que não compra CDs nos shows e deixa para comprar no nosso site", diz ele. "A internet é democrática e nos põe em pé de igualdade com artistas de grandes gravadoras."

Agencia Estado,

25 de outubro de 2004 | 11h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.