Começa temporada 2001 dos Patronos do Municipal

A meio-soprano norte-americana Denyce Graves abre nesta terça-feira, ao lado da Orquestra Sinfônica Municipal, a temporada 2001 dos Patronos do Teatro Municipal. Na regência, o experiente maestro austríaco Julius Rudel, que durante quase 30 anos foi diretor da New York City Opera, nos Estados Unidos.A ópera Carmen, de Georges Bizet, abre o concerto. A orquestra executa a Aragonesa, que será seguida pela Procissão dos Toreadores, interpretada pelo Coral Lírico Municipal. Denyce Graves canta, então, L´Amour Est un Oiseau Rebelle e Près des Remparts de Séville, antes de Rudel conduzir a orquestra nos intermezzos do segundo e terceiro atos. O último trecho de Carmen presente no programa é a ária Les Tringles des Sistres Tintaient, cantada pela meio-soprano e o coro feminino. Na seqüência, Cavalleria Rusticana, de Pietro Mascagni, ópera da qual serão interpretados o célebre Intermezzo e o Hino da Páscoa. De Mascagni, a orquestra também interpreta o Intermezzo de L´Amico Fritz.Após o intervalo, o destaque é a ópera Sansão e Dalila, de Camille Saint-Saëns. Denyce Graves canta Amour! Viens aider ma faiblesse! e - após a execução do Bacanal pela orquestra - a ária Mon Coeur S´Ouvre à ta Voix. Completam o programa a Meditação da ópera Thaïs, de Massenet, Voce di Donna, de La Gioconda, ópera de Amilcare Ponchielli, e a ária Fia Dunque Vero, oh ciel? Oh Mio Fernando! Scritto é in Cielo Ilmio Dolor, de La Favorita, ópera do italiano Gaetano Donizetti.Cantora em ascensão no cenário lírico mundial, Denyce Graves interpreta em sua primeria vinda a São Paulo papéis que marcaram o início de sua carreira, como é o caso de Carmen e Dalila, responsáveis pelo sucesso que vem conquistando ao longo dos anos.Denyce Graves. Terça e quinta, às 21 h. De R$ 10 a R$ 70. Teatro Municipal. Praça Ramos de Azevedo, s/n.º, tel. 222-8698. Patrocínio: Banco Santos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.