Começa eleição do maior compositor latino vivo

O júri do 3º Prêmio de Música Tomás Luis de Victoria começou hoje a discutir na Cidade do México sobre a eleição do melhor compositor vivo Ibero-americano, um reconhecimento que outorga a cada dois anos a Sociedade Geral de Autores e Editores da Espanha (SGAE).Os sete compositores e musicólogos que integran o jurado são o espanhol Agustín Bertomeu, o brasileiro Augusto Mannis, a cubana Victoria Elí, o mexicano Manuel de Elías, o panamenho Jaime Gram, o venezuelano Alfredo Rugeles e o chileno Fernando García. "Nessas mãos está a concessão da mais alta distinção para autores vivos que se concede no terreno sinfônico entre as comunidades de língua espanhola", indicou a SGAE num comunicado, esquecendo, porém, que o Brasil não se encaixaria nesse valioso pré-requisito.No próximo 19 de outubro será anunciado o ganhador deste prêmio, que receberá 12 milhões de pesetas (R$ 115.410), e um concerto especial no Palácio de Belas Artes do México.O ganhador, de caráter bi-anual - anuncia-se nos anos pares e se entrega a honraria nos ímpares -, é escolhido entre 55 compositores de 15 países. Entre os pretendentes estão o brasileiro Gilberto Mendes, o argentino Marlos Nobre e os chilenos Gustavo Becerra-Schmidt e Juan Orrego.Também são candidatos os espanhóis Carmelo Alonso Bernaola, Leonardo Balada, Antón García, Joan Guinjoan, Cristóbal Halffer, Joaquín Homs, Tomás Marco, Claudio Prieto e Josep Soler; os guatemaltecos Jorge Alvaro Sarmientos e Joaquín Orellana, os mexicanos Julio Estrada, Federico Obarra, Mario Lavista e Héctor Quintanar, e o venezuelano Alfredo del Mónaco.A SGAE e a Fundação Autor criaram em 1996, com honrarias concedidas pelos Reis da Espanha, esse Prêmio Ibero-americano de Música com o propósito de reconhecer nos compositores vivos a grande contribuição ao enriquecimento da cultura musical.Santiago de Chile, em 1996, e a cidade do Porto, en 1998, acolheram as duas edições anteriores do prêmio, que consagrou, respectivamente, o cubano Harold Gramatges e o espanhol Xavier Montsalvatge.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.