Com público disperso, Coisinha passeia por repertório infantil

Projeto é formado por China, Lula Lira e os membros do Mombojó

Renato Vieira, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2014 | 18h55

O setor Kidzapalooza, que concentra as apresentações infantis do Lollapalooza, além de oficinas para crianças, teve um fim de tarde musicalmente animado. O projeto Coisinha, que envolve o cantor China, a cantora Lula Lira e os membros do Mombojó, fez um gracioso show para os poucos que estavam na área no fim de tarde. Pena que as crianças pareciam mais interessadas em fazer tatuagens provisórias do que prestar atenção em um repertório que vai de Raul Seixas ('Carimbador Maluco') a Braguinha ('Tem Gato Na Tuba') .

Com arranjos criativos para músicas que povoam o imaginário popular há décadas, o Coisinha só empolgou a parca plateia na quinta música, uma releitura para 'Banho é Bom', da trilha do seriado 'Castelo Rá-Tim Bum'.

Com confetes e vassourinhas, China e Lula "limparam" o público. Apenas uma criança, Heloísa Fleury, 7, se animou durante todo o show. As outras preferiram continuar nas oficinas, enquanto os pais suspiravam de saudade daqueles tempos que não voltam mais.

Em entrevista ao Estado após o show, China disse que a dispersão é natural em um festival como o Lollapalooza, com grandes atrações. "A área ficou sendo o cantinho do relax para quem não queria ver os outros shows. Mas acho que é bacana ter a opção de levar as crianças a locais em que elas tenham contato com música como um todo". Seus dois filhos estão no festival e conferiram o show do pai.

Sobre o repertório, China afirma que o projeto buscou selecionar canções que tenham valor afetivo, mas sem cair na superficialidade que quase sempre é comum na música infantil. "Hoje a criança joga GTA (Grand Theft Auto, jogo sobre roubos e assassinatos), entra na internet, ela sabe o que ela quer. Criança é inteligente e sempre temos que dar a ela o melhor".

Tudo o que sabemos sobre:
Lollapalooza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.