Felipe Giubilei
Felipe Giubilei

Com nova formação, Casuarina lança single e promete voltar às rodas de samba da Lapa

Agora com quatro integrantes, grupo carioca também já tem definido o nome do próximo álbum '+100', que deve sair no primeiro semestre de 2018

Éros Mendes, Especial para O Estado

01 Dezembro 2017 | 19h47

Com nova formação após a saída do ex-vocalista João Cavalcanti, o Casuarina lança, neste início de dezembro, o single Eta Lelê (Serginho Meriti/ Claudemir) para celebrar o atual momento da carreira. O grupo se apresenta neste sábado, 2, no Imperator, no bairro do Méier, na Zona Norte do Rio.

“É um samba para cima, com uma matemática bem alegre”, diz Gabriel Azevedo, que agora assume individualmente o vocal, enquanto Daniel Montes se mantém no violão de 7 cordas, João Fernando no bandolim e Rafael Freire no cavaquinho. Além de marcar a renovação do grupo, Eta Lelê também é um prenúncio do próximo álbum +100, previsto para sair no primeiro semestre de 2018. 

A ideia do nome, explica Gabriel, surgiu a partir do centenário do samba, comemorado em 2017. Dessa maneira, o título +100 tem o objetivo de projetar mais um século de sucesso do gênero e, por isso, o álbum será composto por faixas inéditas de sambistas da nova geração. “Mesmo tendo enorme respeito por toda a história, a nossa ideia é apontar para frente. Por essa razão, vamos gravar composições de uma galera nova, como o Serginho (Meriti), Claudemir e o João Martins”, afirma Azevedo. 

Sem se esquecer do passado, Gabriel também comenta o motivo da saída de João Cavalcanti, após dezesseis anos de estrada. Para ele, a decisão era esperada, pois João, nos últimos anos, já vinha se dedicando a trabalhos solos e em outras vertentes da música. “Viajamos o mundo inteiro juntos, somos muito amigos e há muito respeito. Desejamos toda a sorte, obviamente. Mas também é importante frisar que o projeto do Casuarina é fincar de novo o pé no samba de roda e levantar essa bandeira.”

Volta a Lapa. Outro plano do agora quarteto carioca é retornar a Lapa, local que consagrou o grupo, especialmente no fim da última década, entre 2007 e 2010, quando o Casuarina comandou uma roda de samba semanal na Fundição Progresso. Os músicos participaram da retomada cultural do célebre bairro boêmio e também foi lá que aconteceu a gravação do primeiro DVD, MTV Apresenta: Casuarina, gravado em 2009. A gravação contou com a participação de nomes consagrados como Moska, Roberto Silva, Frejat, Wilson Moreira e Moinho.

Agora, a estratégia para o início de 2018 é novamente ter uma roda de samba semanal. O local escolhido deve ser o recém inaugurado Baródromo, que se mudou da Cidade Nova para a Rua do Lavradio, em agosto. “A Lapa está se retraindo, casas tradicionais estão fechando. Queremos voltar para que a revitalização não se perca”, observa o músico.

E o fato é que, independentemente da data e do local onde acontecer alguma apresentação do Casuarina, haverá sempre um pedido especial dos fãs. “Minha Filosofia (Aluísio Machado) é a música mais emblemática que apresentamos, pois foi a nossa primeira gravação que tocou nas rádios. Até hoje, em todo show, o público pede. É a nossa canção xodó”, brinca Gabriel.

Mais conteúdo sobre:
CasuarinamúsicaSamba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.