Marcio Dolzan/Estadão
Marcio Dolzan/Estadão

Com homenagem às vítimas de Manchester, Ariana Grande se apresenta no Rio

Norte-americana cantou a música 'Somewhere Over the Rainbow' para lembrar os mortos e feridos no atentado

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2017 | 23h09

RIO - A iluminação da arena se apaga e cede lugar a fachos de luz lilás. O enorme telão ao fundo do palco se acende e nele imagens de Ariana Grande convocam os fãs a se agitarem. O cronômetro com contagem regressiva revela que a musa pop subirá ao palco com atraso, dali a longos 11 minutos. Ninguém se importa: os gritos de 11.500 fãs ensandecidos, a maioria com menos de 20 anos, irrompem pelo ginásio. Antes de a estrela da noite surgir em pessoa, o espetáculo já começou.

O show de Ariana Grande no Rio na noite desta quinta, 29, foi realizado 22 dias após a norte-americana retomar a Dangerous Woman Tour, turnê interrompida depois do atentado terrorista em sua apresentação em Manchester, na Inglaterra, em maio passado. Na ocasião, 22 pessoas morreram - incluindo crianças e adolescentes - e 59 ficaram feridas.

O atentado fez o staff de Ariana aumentar as exigências de segurança para as apresentações da cantora pop. No show desta quinta-feira, a organização vetou o acesso de mochilas, bolsas e sacolas grandes. Fotógrafos profissionais também foram impedidos de trabalhar - o motivo não foi informado, mas atitude semelhante já havia sido tomada nas últimas apresentações da cantora pela Europa.

As restrições e as lembranças do atentado, contudo, não atrapalharam em nada o entusiasmo do público que compareceu (e quase lotou) a Jeunesse Arena, que fica junto ao Parque Olímpico da Barra, na zona oeste. Fãs da cantora chegaram a passar a noite em frente ao ginásio para conseguirem um bom lugar tão logo abrissem os portões. 

Escolhida Artista do Ano no American Music Awards de 2016, Ariana Grande agitou o público com seus principais sucessos. Quase dois anos após sua primeira aparição no País, ela abriu o show como de costume: ao som de Be Alright, surgiu de preto em meio a uma dezena de dançarinos. E, ao longo de uma hora e meia, cantou hits badalados como Dangerous Woman, Side To Side e Into You.

A apresentação repleta de shows de luzes e agitação também teve seu momento solene e emocionante. Com um laço preto ornado com orelhas de coelho - marca registrada da cantora - exibido ao fundo, Ariana Grande cantou o clássico de muitas gerações Somewhere Over the Rainbow, em homenagem às vítimas de Manchester. A exibição levou alguns às lágrimas.

O show da cantora pop teve abertura do DJ Ronaldinho e foi antecedido pela exibição da cantora e atriz americana Sabrina Carpenter, de apenas 18 anos. Estrela em ascensão da Disney, Sabrina já lançou dois álbuns e, diante das câmeras, atuou em séries como Law&Order e Orange is The New Black. Sábado, ela participará da abertura do show de Ariana também no Allianz Parque.

Tudo o que sabemos sobre:
Ariana Grandemúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.