Colin Farrell vai à Justiça contra vídeo sexual

O ator irlandês Colin Farrell foi aos tribunais de Los Angeles para tentar impedir a distribuição pública de um vídeo pessoal que filmou enquanto mantinha relações sexuais com uma modelo da Playboy. O "bad boy de Hollywood", conhecido tanto por seu trabalho como ator como por seus casos amorosos, abriu na segunda-feira um processo contra sua ex-namorada Nicole Narain, em uma tentativa de evitar a divulgação pública da fita que contém imagens do amoroso encontro entre os dois. Segundo a informação divulgada hoje sobre o caso, o vídeo foi feito há dois anos e meio, quando o protagonista de Alexandre e Nicole estavam namorando. O vídeo de 15 minutos mostra os jogos sexuais do casal, que fizeram o vídeo de comum acordo e da qual ambos têm uma cópia, mas prometeram um ao outro que nunca divulgariam as imagens. O problema surgiu quando, nas últimas semanas, o agente de Farrell recebeu uma ligação de David Hans Schmidt, que disse trabalhar para Nicole Narain e falou sobre formas de explorar comercialmente a fita do casal. Farrell, de 29 anos, pede na ação que todas as cópias do vídeo sejam devolvidas a ele, e quer uma indenização por danos e prejuízos devido à tentativa de atingir sua carreira "de forma irreparável". O ator irlandês ficou famoso nos Estados Unidos com o filme Tigerland - A Caminho da Guerra, e desde então trabalhou em filmes como Minority Report, Por um Fio ou Demolidor - O Homem sem Medo, aparecendo sem roupa algumas vezes, como em A Home at the End of the World. Considerando que Farrell é considerado um dos intérpretes mais bem dotados na atualidade, tanto por seu talento como ator como por seus atributos masculinos, o vídeo virou sensação na internet. Diversas páginas na Internet, como a www.defamer.com, oferecem descrições detalhadas do que acontece no vídeo entre Farrell e a Miss Janeiro da Playboy em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.