Coca-Cola Vibezone dá espaço para bandas nacionais

A 3.ª edição do Coca-Cola Vibezone acontece hoje e amanhã na Hípica Santo Amaro e é um evento voltado para garantir diversões aos adolescentes com shows de algumas das bandas mais populares do Brasil, DJs consagrados, esportes radicais e área reservada para a paquera. Aos pais, a organização garante que a bebida alcoólica só será vendida para os maiores de idade - mediante apresentação de documento - e o site oficial do evento oferece serviço completo de linhas de ônibus que circulam pelos arredores da Hípica Santo Amaro - ao todo, são 43. "Tomamos todas precauções sugeridas pelo juizado de menores", diz Cláudia Colaferro, diretora de marketing do refrigerante. "Os pais podem ficar tranqüilos".Tranqüilidade, para os filhos, só na arena batizada como Vibe Sussa - onde os toca-discos fazem a trilha sonora com gêneros mais sossegados para o público literalmente descansar. De resto, a adrenalina e a música mais agitada devem ditar o ritmo da balada. No primeiro quesito, nada supera a arena reservada para os esportes radicais (a Vibe Gás) com cama elástica, tobogã e pista de skate. O brinquedo mais concorrido, no entanto, deve ser a catapulta - que arremessa os corajosos (presos a um elástico, obviamente) à uma altura de 60 metros e velocidade de 100 Km por hora. Edu, baixista da banda Ludov, experimentou a sensação. "O legal é a impulsão", resumiu. Além de sua banda, o palco principal receberá alguns dos grupos preferidos dos jovens brasileiros: Capital Inicial, Ira!, Detonautas, Nando Reis, CPM 22, além da banda californiana Six Foot Halo - aposta internacional do evento, com integrantes brasileiros (baixo e guitarra), um norte-americano (vocal) e um israelense (bateria). Entre os DJs, os destaques são Marky (que encerra a discotecagem de drum´n´bass da sexta) e Renato Lopes (o último da programação de house do sábado). A organização estima um público de 80 mil pessoas nos dias de evento. Coca-Cola Vibezone - Na Hípica Santo Amaro. R. Visconde de Taunay, 508. Das 17h às 03h. De R$ 45 a R$ 90. Informações: 4002 -2121 e site oficial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.