Chuva atrapalha noite de hip hop em São Paulo

A chuva pesada que caiu na tarde de hoje em São Paulo atrapalhou o cronograma da noite de hip hop do Chimera Music Festival, no Estádio do Pacaembu. O show da primeira atração, Negra Li, teve de começar com 40 minutos de atraso, por volta das 17h40. Segundo a organização, a estimativa é de que o número de pessoas até a entrada do rapper 50 Cent no palco, atinja a marca otimista de 20 a 25 mil pessoas (o estádio poderia abrigar até 32 mil pessoas). As arquibancadas, com ingressos a R$ 60 e R$ 30, estavam praticamente vazias, o que contribuiu para uma incômoda reverberação do som, que a equipe técnica custou a ajustar. Negra Li, único exemplar feminino do elenco, teve pouco tempo (meia hora) para mostrar a que veio, mas mandou bem. Acompanhada de uma boa banda e do vocal de Helião, ela não fez exatamente hip hop, mas cantou uma mistura suingada de soul, reggae e funk. Depois de um longo intervalo - durante o qual dois DJs animaram os manos com sucessos do gênero, como Hip Hop Hooray, do Naughty by Nature - Rappin´ Hood entrou com tudo. Acompanhado de um MC, um DJ e um percussionista, fez os fãs dançarem com sucessos como Sou Negrão, Rap do Bom, Vida Bandida e É Tudo no meu Nome. No telão, palavras de ordem como "respeito" e "humildade", que traduzem a filosofia do rapper do bem. O número de pessoas na pista, por volta de 19 horas, ainda não tinha dobrado. Pouco antes das 20 horas, Marcelo D2 subiu ao palco. Depois dele, quem vai se apresentar é O Rappa e, por fim, o tão esperado 50 Cent.As filas curtas e pouca movimentação do lado de fora do estádio, antes da abertura dos portões, já davam indícios de que a edição hip hop do projeto não seria tão concorrida quanto o Chimera Music Festival da semana passada, que reuniu Linkin Park e Charlie Brown Jr. no Estádio do Morumbi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.