Lauro Lisboa Garcia/Estadão
Lauro Lisboa Garcia/Estadão

Choro Jazz confirma missão de formar instrumentistas

Evento, que segue de Fortaleza para Jericoacoara, dribla dificuldades de patrocínio e consolida talento de alunos

Lauro Lisboa Garcia - Especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2013 | 20h16

Foram três noites quentes em Fortaleza e agora o festival Choro Jazz começa na vila de Jericoacoara, no litoral do Ceará, trazendo duas atrações internacionais: o trompetista americano Terence Blanchard, que encerrou a etapa da capital cearense no sábado, e o gaitista italiano Gianluca Littera, que transita pelo jazz e pela música clássica e é colaborador do lendário compositor e maestro Ennio Morricone.

Entre os brasileiros, estão na programação a dupla Gilson Peranzzetta (piano) e Mauro Senise (sax e flauta), que também tocaram em Fortaleza celebrando mais de 20 anos de parceria; o Trio Curupira, mostrando material do novo álbum; Renato Borghetti (que já tocou no festival e volta agora com outro projeto em quarteto e com participação especial de Alegre Correa); a cavaquinista Luciana Rabello e seus convidados; a jovem compositora e pianista paulistana Louise Woolley; e outros grandes instrumentistas brasileiros, como Laércio de Freitas, Sizão Machado, Zé da Velha e Silvério Pontes.

Com todos os shows abertos ao público sem cobrança de ingresso, esta é a quinta edição em Jeri (na praça central) e a segunda em Fortaleza (no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura). Desde que a semente do festival foi plantada, uma das preocupações do criador e curador do evento Capucho era formar novos músicos. Segundo ele conta, mais uma vez o festival sofreu com dificuldade de patrocínios, mas mesmo assim se realizou satisfatoriamente com boa infraestrutura e qualidade de som – até Blanchard elogiou, especialmente o trabalho do técnico e músico Pedrinho Figueiredo, que vai tocar pela primeira vez no evento, acompanhando Borghetti em Jeri.

A cada ano é gratificante constatar a evolução dos alunos locais que formaram um grande grupo, o Bandão Choro Jazz, que abriram o festival em Fortaleza e tocam no sábado em Jeri. O empenho e o desempenho desses jovens instrumentistas impressionou o público e músicos tarimbados que acompanharam a apresentação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.