Chico César e Rita Ribeiro dividem palco em SP

Apesar da intensa turnê de cerca de três meses fora do País, Chico César e Rita Ribeiro estão de volta com as baterias carregadas. Nesta quinta-feira, fazem o show Festa Brasil, na Tom Brasil, mostrando o porquê do recente sucesso dos dois nos EUA e na Europa.A idéia do espetáculo nasceu numa apresentação em Natal, no fim do ano passado. Rita era convidada de Chico num show organizado pelo programa Bem Brasil, da TV Cultura. Durante os ensaios, o produtor da turnê estrangeira de Chico achou o formato interessante e convidou a intérprete. No entanto, assim como amanhã, o espetáculo tomou proporção maior e Rita também tem espaço para mostrar o seu trabalho. São dois espetáculos independentes. Ocasionalmente, sem muitas definições, Rita e Chico se juntam no palco. "Optamos pela independência para que não nos sentíssemos obrigados com o encontro", diz Chico César.O mais importante é que a afinidade musical existe muito antes do reconhecimento do trabalho de Chico, como ressalta Rita. No início das carreiras, tocavam sempre juntos, assim como Zeca Baleiro, que também faz parte desse clã da MPB moderna.A turnê também foi muito significativa no que diz respeito à troca de informações. "Apesar de intensa e, conseqüentemente, cansativa, vivemos a música quase todo tempo, percorremos muita estrada com as nossas bandas e as trocas musicais foram constantes", afirma Rita. "Foi uma oportunidade muito boa, essa comunhão é importante para o artista." Outro ponto relevante da viagem foram os lançamentos de discos de carreira e coletâneas de ambos, pela gravadora Puttomayo, no mercado estrangeiro.Cancioneiro - O espetáculo da maranhense Rita Ribeiro é estruturado nos seus dois discos-solos, Rita Ribeiro e Pérolas aos Povos. Ela, além do papel de cantora, é também pesquisadora não acadêmica do nosso cancioneiro. Prova disso é a seleção do seu repertório, que registra preciosidades do compositor Antonio Vieira.O mais bonito é que Rita torna composições como Cocada, de Vieira, e Jurema, de domínio público, acessíveis para novas gerações e outras culturas. Em julho de 99 Rita Ribeiro se apresentou com Zeca Baleiro, Milton Nascimento e Ney Matogrosso, na noite brasileira do Festival de Montreux. Assim, iniciou o merecido reconhecimento no âmbito internacional. Agora, ela precisa ser ainda mais reconhecida aqui.Chico César retomou as atividades no Brasil um pouco antes de Rita, no dia 3. No Teatro Popular do Sesi, ele se apresentou com o contrabaixista Célio Barros. A base dos atuais espetáculos é o recente disco Mama Múndi. O conceito desse trabalho é o de ser mais intimista e acústico que o anterior, Beleza Mano. Nele, o compositor optou pela ausência da formação típica de banda - guitarra, bateria e baixo elétrico. Dessa maneira, está retomando as suas características mais acústicas, presentes na proposta do primeiro disco, Aos Vivos.O compositor também passa por uma boa fase em outra área: o teatro infantil. Ele compôs a trilha sonora da peça infantil Amígdalas, em cartaz no Teatro Hilton. É autor das canções que amarram a trilha original. A peça narra a história de duas amídalas que entram em crise quando descobrem que serão retiradas do corpo que habitam.Chico César e Rita Ribeiro - Quinta-feira, às 21h30. De R$ 20,00 a R$ 40,00. Tom Brasil. Rua das Olimpíadas, 66, tel. 3044-5665. Patrocínio: Rádio Nova FM.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2000 | 17h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.