Chico Buarque vem tatuado na capa do novo disco

Chico Buarque vai aparecer tatuado na capa e no encarte do novo CD, Carioca, programado para sair na última semana de abril. As tatuagens, porém, não são reais, são projeções realizadas pelos designers Raul Loureiro e Claudia Warrk, sobre fotos feitas por Bruno Veiga, em que o compositor aparece sem camisa. Carioca, apelido que Chico ganhou na adolescência em São Paulo, vai sair também em versão dupla, acompanhado de um DVD. Dirigido por Bruno Natal, o documentário de cerca de uma hora é um registro do processo de criação do disco dentro do estúdio.Das 12 faixas, 9 são composições inéditas. Uma delas, Subúrbio, é um choro canção, cuja letra é uma espécie de crônica do lado esquecido da cidade. Imagina tem a participação de Mônica Salmaso. Chico, um dos maiores ídolos da cantora, ficou encantado com sua voz ao vê-la no filme Vinicius. O cinema, aliás, está presente em quatro faixas de Carioca. Duas delas fazem parte de trilhas sonoras: Sempre (de Maior Amor do Mundo, de Cacá Diegues) e Porque Era Ela, Porque Era Eu (de A Máquina, de João Falcão). As outras são Ela Faz Cinema e As Atrizes. Este é o primeiro álbum-solo de estúdio de Chico desde As Cidades, de 1998, que abria com uma canção também chamada Carioca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.