Chico Buarque regrava "Dueto" com Zizi Possi

Só a regravação de Dueto, de e com Chico Buarque - a duas vozes com uma Zizi Possi contida como há muito não se ouvia -, já valeria o preço da trilha sonora do filme Amores Possíveis. A gravação original era com Nara Leão. É daquelas composições que parecem, quando ouvida pela primeira vez, pedir imagens que ilustrem sua eloqüência. Chico, experimentado em música para cena, tem mesmo pendor para construir imagens que se materializam na imaginação do ouvinte. Mas há mais, e de boa qualidade. Chico fez a nova versão de Dueto para a abertura do filme que estréia nesta sexta-feira em circuito nacional (e do disco, lançamento Universal), mas a trilha leva assinatura de João Nabuco, o mesmo de Pequeno Dicionário Amoroso e traz alguns momentos preciosos - muitos dos números musicais com letra da diretora Ana Carolina, boa letrista, de fato.E cantora eficiente, também, como mostra em Velas e Vento, dela e de João Nabuco. Ainda que pese um pouco demais no sotaque pop, remetendo a Zélia Duncan. Mas ela é, no fim da história, a diretora. O canto é incidental. Pena que a inclusão da obra-prima McCarthur´s Park, de Jimmy Webb, no roteiro musical, venha na voz de Donna Summer, e não na do ator Richard Harris, para quem a música foi escrita. Era a peça inaugural de uma espécie de ópera popular. Mas você ainda pode ouvir Valse, arranjo de Claus Ogerman para peça de Bach, com Bill Evans, coisa finíssima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.