Chávez chama Alejandro Sanz e Fito Páez para cantar em Caracas

O presidente venezuelano, Hugo Chávez,convidou na quinta-feira o espanhol Alejandro Sanz e oargentino Fito Páez para cantar no palácio do governo emCaracas, depois da polêmica com o cancelamento de um show pelocantor espanhol. "Não, senhor Sanz, venha aqui se quiser, cante aqui emMiraflores. Eu empresto a praça Bicentenário para que cante ediga o que quiser", afirmou o presidente em uma rede nacionalde rádio e televisão. A praça Bicentenário é um recinto próximo ao palácio deMiraflores que é utilizado para atos culturais e outros eventosoficiais. Chávez se declarou "inocente" das acusações divulgadasinternacionalmente ao explicar que não havia ouvido nunca ointérprete de "Corazón Partío", que no ano passado fez algunscomentários públicos contra o presidente e sobre a políticavenezuelana. A imprensa local reproduziu na véspera uma entrevista com oargentino Paez na qual ele acusou o presidente de "caudilhoanacrônico" pela apresentação frustrada de seu colega, cujocancelamento foi atribuído pelos organizadores a obstáculosimpostos pelas autoridades. "O único cantor que eu vejo sou eu mesmo. Eu canto, cantomuito mal", disse em tom de brincadeira e convidou Páez paraformar uma dupla com ele. "Fito, vem aqui e canta, cantamosjuntos, traz tua guitarra", acrescentou. Na semana passada, Sanz recebeu apoio de celebridades e daorganização do Grammy Latino pela suspensão do show em Caracas. Chávez atribuiu a polêmica a uma deturpação de informaçõespela mídia. A polêmica com Saenz começou em outubro do ano passadoquando autoridades de um auditório estatal vetaram o show nesselocal, e um ministro de Chávez justificou a decisão alegandoque o cantor havia feito críticas a Chávez. (Por Fabián Andrés Cambero)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.