Cena eletrônica recupera fôlego

Depois de passar um tempinho no marasmo, a cena eletrônica paulistana começa a se animar. Não só com a perspectiva do Skol Beats, que trará, em abril, diversos nomes de peso da e-music mundial, mas também graças aos clubes, que, seguindo a máxima de que o Brasil só começa a funcionar depois do carnaval, iniciam novos projetos e trazem nomes internacionais do circuito underground europeu.Hoje, são dois clubs que prometem uma noite de boa e-music. O primeiro é o Lov.e (R. Pequetita, 189, tel.: 3044-1613), que, dentro do projeto Technova do DJ Mau Mau, recebe o DJ e produtor inglês Aubrey, dono do selo Solid Groove, com set de techno e tech-house.O outro é o Piranha (R. Turiassu, 928, tel.: 3874-0744), que traz edição especial do projeto Audiodrome, do italiano Franco Rossi. Em parceria com Fillipo Scrimizzi, o DJ faz live P.A. e aproveita para lançar o CD Trancendence, em homenagem às raves de mesmo nome de Alto Paraíso (GO).No sábado, apesar de muita gente da própria cena não saber, comemora-se internacionalmente o Dia Internacional do DJ. Para celebrar a data, o suíço A.J. Crypt apresenta set de house com seu saxofonista (ao vivo) na Anzu (Av. Tiradentes, 2555, Itu, tel.: 4025-4444), a partir das 23 h.A Lôca (R. Frei Caneca, 916, tel.: 3159-8889) é outra que recebe atração internacional. Quem vem dar o toque tech-house da noite é o inglês Mike Parsons.A cena GLS também tem novidade. A partir de amanhã, começam as noites Jet Lounge, no Ultra Lounge (R. da Consolação, 3.114, tel.: 3875-0189), organizada por André Almada, que vai receber um jet-setter a cada semana. Para abrir a noite, Almada escalou Marcelo Sebá.Retomando o conceito eletrônico, o Mercado Mundo Mix (Av. Francisco Matarazzo, 530, tel.: 3661-6780) faz sua primeira edição do ano com o Trance Mix Festival, com vários nomes do genêro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.