Celso Viáfora lança CD com show em SP

O compositor Celso Viáfora lançaamanhã, na Tom Brasil, o disco Basta um Tambor Bater (gravadora JAM Music), seu quarto disco, o primeiro inteiramentededicado ao samba - embora não sua estréia no mundo do samba. Odisco de Celso foi recebido pela crítica do Rio com os termosmais elogiosos e houve quem visse em sua obra qualidade eimportância equivalentes às da obra de Zeca Pagodinho. E nãocusta lembrar que, há quatro anos, Celso integra a ala decompositores do Salgueiro.Nos mencionados elogios, nenhum exagero. Basta umTambor Bater está entre os melhores discos do ano e reafirma amaturidade musical de compositor, cantor, instrumentista, tambémarranjador - embora, no novo CD, não assine arranjos: deixou-osa cargo dos especialistas Rildo Hora, Paulão, Ivan Paulo, aturma que trabalha em produção e arranjo com Zeca, Beth Carvalho, Martinho da Vila e o mais do primeiro time do samba.O disco tem participações especiais de Ivan Lins e doMPB-4, na faixa Diplomação (parceria inédita de Ivan -melodia - e Celso - letra), e de Beth Carvalho, em Chora(parceria de Celso com Vicente Barreto).Outras participações podem ser menos conhecidas, mas têmequivalente importância para o mundo do samba - o já mencionadoPaulão, violonista, Carlinhos Sete Cordas, os percussionistasGordinho (surdo), Esguleba (pandeiro), Belôba (tantã), MarcosEsguleba (pandeiros, caixeta), Felipe de Angola (congas, xequerê caxixi), Jorge Gomes (contrabaixo), Mauro Diniz (cavaquinho),Roberto Marques (trombone), Dirceu Leitte (saxofone). Paramencionar uns poucos.Parte da turma estará em cena com Celso, amanhã ànoite. E com ele estarão os meninos do projeto Barracão dosSonhos, de Paraisópolis. São crianças - percussionistas - queparticipam do projeto de socialização criado em 1999 pelopercussionista Dinho Rodrigues. É emocionante a participaçãodeles no samba Papai Noel de Camiseta, uma das obras-primasdo compositor, história de um Natal passada num morro qualquer,numa periferia qualquer - história de um Natal, apesar de tudo,feliz.E esse, apesar de tudo, feliz é marca da obra de CelsoViáfora, que, nisso, expõe um ponto de vista semelhante ao deChico Buarque com relação a Brasil e povo brasileiro: existem asdores e misérias, mas há um remissão. Darcy Ribeiro acreditavanisso - os humanistas brasileiros acreditam nisso. E não setrata de cegar para o que está em torno, mas de enxergar outraspossibilidades, paralelas às oficiais, independentes delas.Esse tipo de olhar carinhoso estende-se às questõesamorosas, à observação das paisagens, ao futebol - apesar delemesmo - e assim por diante: às coisas da cultura que urdiu osamba que Celso compõe como os grandes do samba de todos ostempos. Imperdível.Celso Viáfora. Amanhã(29), às 21 horas. R$ 10,00(estudantes) e R$ 20,00. Tom Brasil. Rua das Olimpíadas, 66, tel. 3845-2326. Patrocínio: Volkswagen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.