Celebridades, gorjetas gordas e óculos enormes invadem Austrália

Sol, areia, óculos estupidamente imensose gorjetas de 500 dólares. Esses são os novos ingredientes doverão australiano, que vem atraindo celebridades da música comoBjork e Bon Jovi, que fogem do inverno para se apresentar nosshows e festivais que marcam o início do ano no país. O roqueiro norte-americano Bon Jovi foi eleito a melhorgorjeta da cidade na terça-feira pelo jornal Daily Telegraphdepois de deixar 600 dólares australianos (500 dólares) para umsurpreso garçom de Sydney. "Foi a maior gorjeta que recebi nos quatro anos em quetrabalho aqui", disse o garçom Ed Tomlinson, 28. "Ganhar 100dólares australianos é um bônus, então isso foi muitosubstancial." Outra mania das celebridades pegou dias antes no festivalBig Day Out em Queensland, quando os fãs exibiam enormes óculosde sol amarelos, como os do adolescente Corey Delaney, quedespontou para a fama global como o "festeiro do MySpace". Centenas na multidão de 53 mil pessoas, além de artistasdas bandas australianas Regurgitator e Silverchair, exibiam osóculos que são a marca registrada do infame adolescente, presodepois que uma festa em sua casa quase acabou em quebra-quebra. Do outro lado do mar da Tasmânia, em Auckland, NovaZelândia, primeira parada na turnê de seis dias Big Day Out, osastros da música deixaram um rastro de fofoca e entrevistas comgarçons após o festival na sexta-feira. Piha Beach, no oeste da cidade, se tornou uma central decelebridades, com Bjork e os membros do Rage Against theMachine relaxando na areia antes de subir ao palco, noticiou oNew Zealand Herald. Bjork, que é a atração principal do Big Day Out em Sydney,Melbourne, Adelaide e Perth, chamou a atenção nas lojas desurfe e nos restaurantes neozelandeses. Apesar de ter sido notícia por rasgar a camisa de umpaparazzo após o desembarque no aeroporto de Auckland, foi a"normalidade" da cantora, famosa por ser pouco convencional, oque mais impressionou os moradores. "Bjork estava usando roupa de praia normal. Ela pareciaabsolutamente normal", disse uma mulher em Piha à mídia da NovaZelândia. (Por Gillian Murdoch)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.