CDs reúnem versões esquecidas de Tom Jobim

Mara e Cota, Ana Lúcia, Carlos José, Jorginho, Ernani Filho, Severino Araújo, Trio Nagô, Zacarias Filho, Wilson Miranda, Diana Montes, Dora Lopes e Zezinho. Alguém já ouviu falar destes músicos? Pois, de 1956 a 1964, estes e outros intérpretes desconhecidos do público entraram nos estúdios de gravadoras, como a Odeon, RCA-Victor e Polydor, e registraram várias canções de Antônio Carlos Jobim.O fato mostra que, antes e mesmo durante o estouro comercial da bossa nova, nos primeiros anos da década de 60, a obra jobiniana nem sempre serviu de escada para o sucesso e teve protagonistas que jamais foram parar na mira dos holofotes. Gravar Jobim, para muitos deles, tinha por objetivo apenas reverenciar a obra do maestro.Mas essas versões quase desaparecidas ? muitas não tiveram nem mesmo segundos de fama ?, registros raros que sumiram das lojas, foram recuperadas em um recente projeto do selo curitibano Revivendo. Tom Jobim ? Raros Compassos traz três CDs com 76 faixas ao todo. Vale lembrar que a história das canções, por vezes, supera a qualidade das interpretações.Mara e Cota ? duas caipiras que interpretam Eu Não Existo Sem Você e Eu Sei Que Vou Te Amar como se estivessem em uma festa de São João ? na verdade nunca existiram. Ou melhor, Mara e Cota existiram em 1959, nas poucas horas que levaram para gravar as duas canções. O caso foi recentemente pesquisado pelo jornalista Ruy Castro, que revelou o segredo: Mara e Cota eram as cantoras Silvinha Telles e Stellinha Egg.?Aquilo foi um exagero das duas cantoras. Mas é bom que esta história tenha mesmo vindo à tona para que as pessoas entendam o que aconteceu na época?, diz Leon Barg, pesquisador e coordenador do projeto.Poucos compositores tiveram sua obra lida de maneira tão vasta e diferenciada como Tom Jobim. A quantidade de arranjos e interpretações curiosas compiladas pela Revivendo em nada deve aoss cultuados Anthology, que a emissora londrina BBC lança com a obra de artistas que passaram por seus estúdios.Só Danço Samba, com Elza Soares e orquestra, de 62; Eu Sei que Vou te Amar, com Albertino Fortuna, solo de violão, orquestra e coral, de 59; Corcovado, com piano erudito e voz de Delora Bueno, de 63; e O Grande Amor, com Mário Reis e orquestra, de 60, comprovam o fascínio dos maestros, arranjadores e instrumentistas pelos temas de Jobim.Apesar da bossa novística Garota de Ipanema (que não consta nos CDs) ser considerada uma das canções mais regravadas em todo o mundo, Se Todos Fossem Iguais a Você (composta em agosto de 58, que aparece em registros de Vicente Celestino, de 59, Norma Suely e Maria Helena Raposo, ambos de 58) foi gravada 26 vezes somente até 1960.O encarte informa que Tom Jobim só se apresenta três vezes na coleção: Frase Perdida (com Ernani Filho), Eu Não Existo Sem Você e Sucedeu Assim (com Vanja Orico) são acompanhadas por orquestra e pelo piano do maestro. João Gilberto, por não pertencer ao grande time dos ilustres ignorados, não foi escalado.Tom Jobim ? Raros Compassos - (selo Revivendo) Tel.: (0xx41) 253-3035. Preço médio: R$ 6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.