CCBB recebe o projeto Brasil de Todos os Sambas

Com uma programação musical pontuada por artistas de diferentes regiões do Brasil, o projeto Brasil de Todos os Sambas inicia hoje temporada de shows no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e procura traçar um mapeamento do gênero País afora. Serão cinco shows, apresentados toda terça-feira, até dia 27. Estréiam o projeto os compositores e intérpretes Nei Lopes e Monarco, sumidades no assunto e que no CCBB farão homenagem ao Rio. Monarco da Portela é um nome respeitado pela classe. Algumas de suas músicas foram sucessos na voz de intérpretes como Clara Nunes e Paulinho da Viola. No palco, ele se encontrará com o sambista Nei Lopes, pesquisador das culturas negras, autor de vários livros e periódicos sobre o assunto. Para Nei, apesar de o samba não aparecer muito na mídia, ele está espalhado por todo o Brasil. "Na década de 80, você tinha uma oferta de grandes estrelas do samba: João Nogueira, Clara Nunes, Martinho da Vila... Encontrávamos oportunidade para mostrar nossa obra de forma absoluta", avalia. Hoje, para o sambista, o gênero no mainstream só é feito de três nomes: Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e Dudu Nobre. O restante da turma está nas pequenas gravadoras, de onde, segundo ele, atualmente sai a melhor música feita no País. "O interessante é que, apesar de toda essa contracorrente, o samba está aí e a gente continua a trabalhar." Ele e Monarco seguirão um roteiro de show que aborda o samba do Rio de maneira ampla. Sambas que falam dos bairros importantes do Rio, das escolas de samba, ou que falam do próprio samba. No repertório, Apoteose ao Samba, Samba do Irajá, A Voz do Morro, entre outras. "Decidimos enxugar o show, para podermos conversar com o público e situar essas músicas historicamente", conta Nei. Brasil de Todos os Sambas é uma adaptação para São Paulo de um projeto semelhante apresentado no Rio. "Naquela ocasião, mostramos para os cariocas que existem sambas de boa qualidade em outras regiões", comenta Alexandre Pimentel, um dos diretores artísticos do evento. Para o público paulistano, o mote é comprovar a diversidade e riqueza do gênero. No dia 6, o compositor Roque Ferreira e a cantora Jussara Silveira fazem tributo ao samba da Bahia no show Chulas e Sambas de Roda do Recôncavo. O mestre da canção popular Antonio Vieira é o convidado do show Pregoeiros do Samba Maranhense, que terá a participação de Rita Ribeiro. No dia 20, o samba de Minas será representado por Sérgio Santos e Mamão. No dia 27, o espetáculo SP - Não É só Garoa trará o Quinteto em Branco e Preto e a Velha Guarda do Camisa Verde e Branco.Brasil de Todos os Sambas - Centro Cultural Banco do Brasil. R. Álvares Penteado, 112, Centro, 3113-3651. Hoje, 13h e 19h30. R$ 6. Todas as terças, até 27/9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.