Cássia Eller é homenageada no dia do aniversário

Uma ausência que não quer calar é a da cantora Cássia Eller, que morreu prematuramente há quatro anos. Programada para este sábado, dia em que ela faria aniversário, foram criados alguns momentos em sua homenagem. Um deles é a programação especial exibida pelo Multishow ao longo do dia. O canal pago instituiu o dia 10 de dezembro como o Dia Cássia Eller. O objetivo é abastecer a maratona com clipes e shows da cantora, mas o que deve interessar particularmente fãs e curiosos é o programa gravado para a ocasião. O especial mostra entrevistas inéditas com Maria Eugênia, sua companheira durante anos, e do filho Chicão. Fruto de um breve relacionamento entre Cássia e o músico Tavinho Fialho, Chicão hoje vive sob os cuidados de Eugênia. Típico pré-adolescente de 13 anos, é vascaíno, baterista - e tímido. Em depoimento ao especial, ele fala, pela primeira vez na TV, sobre sua mãe, sua convivência com ela, e as influências da mãe na formação de seu gosto musical. Eugênia também compartilha impressões sobre a companheira: de como Cássia se tornava agradável quando se quebrava a barreira da timidez ou como ela sofreu na carreira por não abrir mão da autenticidade. O Dia Cássia Eller fará parte do calendário do canal. Para o próximo ano, deve emplacar o projeto Canções de Cássia - Multishow ao Vivo, em parceria com família e a gravadora dela, a Universal. Canções afetivas Hermelino Neder e Luiz Pinheiro, primeiros compositores gravados pela cantora, resgataram um início de carreira pouco conhecido. Eles transformaram isso em CD, Cássia Secreta, e apresentam hoje numa audição comentada na Fnac Paulista. As canções de Neder e Pinheiro ajudaram a compor o repertório dos dois primeiros álbuns dela, que não fizeram sucesso, mas foram relevantes para a construção de sua trajetória. Além de compilar algumas dessas composições, como Pô, Amar é Importante! e Na de Casal, os dois selecionaram canções afetivas de Cássia, como a turma da Vanguarda Paulista, pela qual ela tinha paixão escancarada, e Noel Rosa. Ainda no CD incluíram A Minha Melhor Amiga, de Neder e Tales Ab´Saber, que nunca fora gravada por Cássia. Mas não por falta de vontade dela. "Eu não deixei ela gravar. O Arrigo também a queria. Eu tinha intuição que seria um hit e, por isso, eu queria gravá-la. Mas imaginava que ganhasse uma releitura na voz dela", diz Neder que hoje lamenta sua decisão, já que essa releitura nunca aconteceu. Neder foi o primeiro a ter contato com Cássia. Na verdade, o contato com Maria Eugênia veio antes. Dona de uma timidez profunda, Cássia pediu para sua companheira entrar em contato com o autor de músicas que ela já cantava em suas pequenas apresentações em Brasília. Ela havia acabado de ser contratada por uma grande gravadora, mas ainda era uma voz desconhecida. Mas como para Hermelino o que vale mais é a aposta em uma intérprete em si do que em um nome famoso, ele as recebeu. "A Cássia gostava de tudo que eu mostrava", lembra-se. Àquela altura, quem continuava a fazer a ponte era Eugênia. E Neder ainda não conhecia a voz daquela cantora tão conhecedora e admiradora de sua obra. Depois de lhe mostrar as canções, o compositor pediu para que cantasse. Ela começou e ele sentiu arrepios. Momento que Neder descreve como um de seus mais raros encontros com uma força pura da natureza, "a mesma que habita a verdadeira arte." Por meio dele, a cantora conheceu Luiz Pinheiro, que passou a abastecê-la também com letras e a acompanhar seus shows até o fim da vida da cantora. A história entre Neder e Cássia foi mais curta, já que o compositor, mais caseiro, nunca teve o mesmo pique boêmio do amigo. Foi curto, nem por isso menos marcante. "A Cássia acabou fazendo a direção artística póstuma desse CD, pois essas canções não estariam no disco se ela não as estivesse escolhido."Dia Cássia Eller. Sábado, 21 horas (horários alternativos: dom., 16 h; 2.ª, 8h30; 4.ª, 17 h; 5.ª, 14h). Multishow (canais/ operado- ras: Net e Sky, 42) Cássia Secreta. Fnac Paulista. Av. Paulista, 901, tel. 2123-2000. Sábado, 18 horas. Grátis

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.