AP Photo/John Locher/Arquivo
AP Photo/John Locher/Arquivo

Casamentos celebrados por 'Elvis' em Las Vegas podem estar com os dias contados

Empresa que detém direitos do cantor está proibindo que as famosas capelas do amor usem sósias para realizar cerimônias temáticas

Redação, AP

01 de junho de 2022 | 08h30

Capelas do amor de Las Vegas que usam sósias de Elvis Presley podem se tornar Hotéis do Coração partido (uma referência à canção Heartbreak Hotel, do cantor). A empresa licenciadora que controla o nome e a imagem do 'Rei' está solicitando a operadores das capelas da "Cidade do Pecado" que parem de utilizar Elvis em cerimônias temáticas, informou a revista Las Vegas Review-Journal na segunda-feira, 30. 

O Authentic Brands Group enviou cartas de "cessar e desistir" no início de maio para várias capelas, que devem se adaptar logo. Com Elvis tão intimamente ligado à indústria de casamentos de Las Vegas, alguns dizem que a mudança poderia dizimar seus negócios. "Somos um negócio familiar, e agora estamos falando com os cães grandes", disse Kayla Collins, que opera LasVegasElvisWeddingChapel.com e a Little Chapel of Hearts com seu marido. "Esse é o nosso ganha-pão. Eu não entendo. Estávamos apenas dando um passo novamente após a covid, então acontece isto." 

Lynn Goya, funcionária do Condado de Clark (onde fica Las Vegas), que liderou uma campanha de marketing promovendo Las Vegas como destino de casamento, disse que a ordem para as capelas pararem de usar Elvis não poderia ter vindo em pior hora para o setor. A indústria de casamentos da cidade gera US$ 2 bilhões por ano, e as autoridades dizem que os casamentos temáticos de Elvis representam um número significativo das cerimônias realizadas. 

"Pode destruir uma parte da nossa indústria de casamentos. Algumas pessoas podem perder o seu sustento", disse Goya. Uma capela no fim de semana passado teve seu imitador Elvis transformado em um casaco de couro, jeans e um fedora para uma cerimônia temática "rock 'n' roll", noticiou a revista Review-Journal.  A Graceland Wedding Chapel, que realiza 6.400 casamentos temáticos de Elvis por ano, ainda não foi advertida, segundo o gerente Rod Musum. O Authentic Brands Group não respondeu imediatamente a um pedido de comentários enviado por e-mail na terça-feira, 31. 

A empresa de licenciamento supervisiona os patrimônios de grandes nomes como a estrela de cinema Marilyn Monroe e o boxeador Muhammad Ali e 50 marcas de consumo. Na carta de "cessar e desistir", a empresa disse que vai impedir o uso não autorizado do "nome, semelhança, imagem de voz e outros elementos da persona de Elvis Presley em propagandas, mercadorias e outros". 

A carta também dizia "Elvis", "Elvis Presley", "e "O Rei do Rock and Roll" são marcas registradas protegidas. A ordem não deve ser traduzida em ações legais contra os espetáculos temáticos de Elvis em Las Vegas, como All Shook Up, porque fazer-se passar por alguém para apresentações ao vivo, como espetáculos, é considerado uma exceção sob o direito de publicidade de Nevada, segundo Mark Tratos, um advogado local que ajudou a escrever o estatuto. Um espetáculo de Elvis é um artista que essencialmente diverte os outros recriando essa pessoa no palco", disse Tratos. 

Kent Ripley, cujo negócio se chama Elvis Weddings, disse que nunca se deparou com esta questão em 25 anos de atuação como Elvis. Eles querem proteger a marca Elvis. Mas o que eles estão protegendo ao tirar Elvis do público?", perguntou Ripley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.